Mundo

Irã lança ataque de drones contra Israel e aumenta risco de guerra regional

Segundo porta-voz das Forças de Defesa de Israel, Daniel Hagari, o governo trabalha em coordenação com os Estados Unidos para interceptar os lançamentos

Aiatolá Ali Khamenei: líder do Irã se comprometeu a retaliar Israel pelo ataque a Damasco e Israel (Caren Firouz/Reuters)

Aiatolá Ali Khamenei: líder do Irã se comprometeu a retaliar Israel pelo ataque a Damasco e Israel (Caren Firouz/Reuters)

Antonio Temóteo
Antonio Temóteo

Repórter especial de Macroeconomia

Publicado em 13 de abril de 2024 às 17h52.

Última atualização em 13 de abril de 2024 às 18h58.

O governo de Israel afirmou neste sábado, 13, que o Irã lançou drones para atacar o país. O ataque foi confirmado pelo governo iraniano e a ofensiva representa uma resposta ao ataque que destruiu o consulado do iraniano em Damasco, na Síria. O conflito aumenta as tensões entre os dois países e têm o potencial de desencadear uma guerra regional, informaram a CNN e CNBC.

“O Irã lançou aeronaves não tripuladas de seu território em direção ao território do estado de Israel”, disse o porta-voz das Forças de Defesa de Israel, Daniel Hagari. “Estamos monitorando a ameaça no espaço aéreo. É uma ameaça que leva várias horas para chegar ao território do Estado de Israel”, afirmou

Hagari ainda disse que Israel trabalhar “em estreita coordenação” com os Estados Unidos e parceiros regionais para interceptar os lançamentos.

Biden antecipa retorno à Casa Branca

O presidente dos Estados UnidosJoe Biden, decidiu antecipar o retorno à Casa Branca para o período da tarde deste sábado, 13, em meio às tensões no Oriente Médio. O democrata deixaria sua residência no estado de Delaware apenas no domingo, mas agora voltará a Washington mais cedo para se reunir com a equipe de segurança nacional.

Em função do ataque por drones do Irã à Israel, Biden vai se reunir com membros do Conselho de Segurança Nacional na ‘Situation Room’ da Casa Branca, um espaço utilizado em situações de risco global, de acordo com a CNN. A vice-presidente Kamala Harris participará por vídeo por uma conexão segura.

Estarão na reunião o secretário de Defesa dos Estados Unidos Lloyd Austin, o secretário de Estado Anthony Blinken e o chefe-geral das tropas militares americanas, Charles Q. Brown.

Ataque nas próximas horas

Guarda Revolucionária do Irã confirmou que lançou "dezenas de drones e mísseis" em direção ao território israelense neste sábado segundo informou a mídia estatal iraniana. O grupo explicou que a ofensiva representa uma resposta ao ataque que destruiu o consulado do Irã em Damasco, na Síria.

Israel não assumiu autoria pela investida oficialmente, mas até mesmo seus aliados veem envolvimento do país na ação, que matou pelo menos 16 pessos. O porta-voz do Exército israelense para a imprensa árabe, Avichay Adraee assegurou que os militares estão implementando medidas previamente planejadas para esse tipo de situação.

As ações incluem a suspensão de serviços de GPS em regiões do país. "Estamos monitorando a ameaça no espaço aéreo", reiterou em comunicado.

Tensões entre os dois países

As tensões entre o Irã e Israel aumentaram desde o início da guerra em Gaza, em outubro. Nas últimas semanas, o clima entre as duas nações piorou ainda mais depois de o Irã acusar Israel de atacar ao seu consulado em Damasco, em 1 de abril.

Os líderes iranianos, incluindo o aiatolá Ali Khamenei, comprometeram-se a retaliar Israel pelo ataque a Damasco e Israel, por sua vez, ameaçou um contra-ataque próprio. Israel não confirmou nem negou o seu envolvimento no ataque de Damasco.

“Se o Irã atacar a partir de seu território, Israel reagirá e atacará no Irã”, escreveu o ministro das Relações Exteriores de Israel, Israel Katz, em uma postagem de quarta-feira no X, marcando a conta X do aiatolá.

Acompanhe tudo sobre:IsraelEstados Unidos (EUA)Guerras

Mais de Mundo

Grécia vai construir a maior 'cidade inteligente' da Europa, com casas de luxo e IA no controle

Seis mortos na Nova Caledônia, onde Exército tenta retomar controle do território

Guerra nas estrelas? EUA ampliam investimentos para conter ameaças em órbita

Reguladores e setor bancário dos EUA devem focar em riscos essenciais, diz diretora do Fed

Mais na Exame