IPO tech: Datora, de Internet das Coisas, busca oferta de ações

IoT é o principal foco de atuação da companhia mineira, que tem 1.500 clientes nesse segmento com a marca Arquia; recursos serão destinados para aquisições e investimento em inovação
A Internet das Coisas (IoT) permite a conectividade e o controle remoto de quaisquer objetos com a tecnologia | Foto: Thinkstock (Thinkstock/Thinkstock)
A Internet das Coisas (IoT) permite a conectividade e o controle remoto de quaisquer objetos com a tecnologia | Foto: Thinkstock (Thinkstock/Thinkstock)
Por Da redação, com agênciasPublicado em 06/09/2021 16:51 | Última atualização em 07/09/2021 07:56Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A Datora, empresa especializada em tecnologias que incluem desde a Internet das Coisas (IoT na sigla em inglês) até terminais de pagamentos com cartões, pediu registro para uma oferta inicial de ações (IPO), em busca de recursos para aquisições e investimento em inovação, segundo documento protocolado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Criada em 1993 como uma escola de computação para jovens e crianças, a Datora passou depois a ser uma loja de informática, até se tornar uma pequena operadora de telefonia móvel, antes de se especializar em Voz sobre IP (VoIP) e Internet das Coisas (IoT), um dos segmentos mais promissores da tecnologia.

São 1.500 clientes nessa frente de negócios, de acordo com o prospecto, em que ela atua com a marca Arquia.

A Internet das Coisas representa a conectividade com a internet de objetos que vão de carros a eletrodomésticos, permitindo o acesso remoto e o uso de inteligência de dados para direcionar a automação.

Com sede no município mineiro de Nova Lima, a companhia tem operações internacionais que incluem Argentina, Colômbia, Estados Unidos, França, Guatemala, Suécia e Israel.

No mercado de IoT, a Datora atende parceiros que incluem IoT em seus produtos, serviços e necessidades, oferecidos para seus próprios clientes e ou utilizados nas suas demandas internas.

Nos serviços oferecidos no segmento de IoT, além de conectividade, a companhia afirma no prospecto que a sua plataforma inclui a funcionalidade de gestão integrada, seja por interface gráfica ou por API, sempre no formato white label: ou seja, ela fornece as soluções tecnológicas para os clientes sem que a sua marca apareça.

Isso possibilita que tanto parceiros quanto seus próprios clientes possam ativar, bloquear, cancelar ou modificar os serviços contratados. Os serviços atuais têm cobertura no Brasil e no mundo.

No prospecto preliminar da operação, a Datora diz que pretende usar os recursos da venda de ações novas para comprar outras empresas, investir em inovação e reforçar o capital.

Na operação, que será coordenada por Itaú BBA, UBS BB, BTG Pactual e Morgan Stanley, atuais acionistas pessoas físicas também vão vender uma fatia na empresa -- ou seja, será uma oferta primária e secundária.

(Com a Reuters)