Ibovespa cai 1,8% e reverte ganhos no ano; dólar sobe a R$ 5,15

Temores com altas de juros nos EUA e potencial recessão pressionam bolsas globais; BTG sobe após balanço
Painel de cotações da B3 (Germano Lüders/Exame)
Painel de cotações da B3 (Germano Lüders/Exame)
Por Beatriz Quesada, Guilherme GuilhermePublicado em 09/05/2022 17:29 | Última atualização em 09/05/2022 17:31Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Ibovespa hoje: o principal índice da B3 cai nesta segunda-feira, 9, zerando os ganhos acumulados ao longo dos primeiros meses do ano e entrando no campo negativo. Com o Ibovespa caindo quase 2% neste início de semana, para 103.250 pontos, o índice agora recua no acumulado de 2022. Esta é a pior pontuação para o índice desde o dia 10 de janeiro, quando encerrou o pregão aos 101.945 pontos. 

  • Ibovespa: - 1,79%, 103.250 pontos

O movimento acompanhou o aumento da aversão ao risco nos principais mercados do mundo, com investidores avaliando a intensidade do aperto monetário nos Estados Unidos e seus potenciais efeitos econômicos. 

O dólar, por outro lado, voltou a se fortalecer contra moedas emergentes e desenvolvidas, à medida que investidores buscam opções mais seguras de investimento. No Brasil, a moeda americana encerrou o dia negociada acima de R$ 5,15.

  • Dólar: + 1,60%, R$ 5,156

À medida que investidores foram aumentando as apostas de juros mais altos na economia americana, os índices de ações internacionais aprofundaram as perdas, encerrando o pregão com quedas superiores a 4%. 

O mais prejudicado foi o índice de tecnologia Nasdaq, uma vez que as ações de crescimento, como costumam ser as de tecnologia, são as mais penalizadas em cenários de juros mais altos. 

  • Dow Jones (EUA): - 1,85%
  • S&P 500 (EUA): - 3,20%
  • Nasdaq (EUA): - 4,29%
  • Stoxx 600 (Europa): - 2,90%

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Destaques de ações

Ações de com grandes perspectivas de crescimento embutidas no preço voltaram a sofrer mais no pregão de hoje também no Brasil, com investidores reajustando as expectativas diante de sinais de juros mais altos e enfraquecimento econômico. 

Grandes varejistas, intimamente ligadas à temperatura da atividade local, também ficaram entre as maiores perdas. 

A Petz (PETZ3), que já havia amargado uma perda de 12% na última sexta-feira, renovou sua mínima histórica no pregão de hoje. Embora o pano de fundo para as perdas seja o balanço da companhia, divulgado na semana passada, analistas avaliam que as perdas estão associadas, principalmente, ao cenário macroeconômico.

  • Locaweb (LWSA3): - 14,44%
  • Petz (PETZ3): - 10,88%
  • Magazine Luiza (MGLU3): - 9,07%
  • Totvs (TOTS3): - 8,26%
  • Natura (NTCO3): - 6,96%

Além de condições monetárias mais restritivas, os temores sobre recessão aumentam, conforme a China dá continuidade à política de tolerância zero ao covid-19. Preocupações de que novas restrições mitiguem a demanda por minério de ferro derrubaram em 7% o preço da commodity nesta madrugada. A Vale (VALE3), com o maior peso no Ibovespa, sentiu os impactos da desvalorização, caindo mais de 4% nesta segunda-feira.

  • Vale (VALE3): - 4,10%

O petróleo também foi penalizado com as restrições. O petróleo Brent, referência para os papéis da Petrobras (PETR3/PETR4), recuou mais de 5%. Na bolsa, as petroleiras privadas 3R Petroleum (RRRP3) e PetroRio (PRIO3) ficaram entre as maiores quedas do dia.

  • 3R Petroleum (RRRP3): - 8,71%
  • PetroRio (PRIO3): - 8,60%
  • Petrobras (PETR3): - 4,01%
  • Petrobras (PETR4): - 2,72%

No extremo oposto, o BTG Pactual (BPAC11, do mesmo grupo controlador da Exame) ficou entre as maiores altas do Ibovespa, com investidores reagindo ao balanço do primeiro trimestre divulgado nesta manhã. O banco teve lucro líquido ajustado de R$ 2,06 bilhões no período, representando um crescimento de 76% na comparação anual. A receita total foi de R$ 4,35 bilhões. 

O Itaú (ITUB4), que também reportou balanço hoje cedo, caiu quase 2%. O banco registrou um lucro líquido contábil de R$ 6,7 bilhões, um aumento de 24,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

  • BTG Pactual (BPAC11): + 3,61%
  • Itaú (ITUB4): - 1,43%