Invest

GameStop parte 2? Ações disparam 120% após influenciador ressurgir em rede social após 3 anos

Keith Gill esteve por trás de movimento que fez ação subir quase 2.500% em 2021 e provocou perdas em grandes fundos de Wall Street

GameStop (Mike Blake/Reuters)

GameStop (Mike Blake/Reuters)

Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Repórter de Invest

Publicado em 13 de maio de 2024 às 14h35.

As ações da GameStop chegaram a subir 120% nesta segunda-feira, 13, ao serem negociadas na máxima do dia, a US$ 37,74. A forte valorização ocorre após o perfil Roaring Kitty, do influenciador Keith Gill, ressurgir após três anos de inatividade. A postagem, feita no X, mostra um jogador de videogame curvando as costas. A postura é conhecida no meio gamer como uma "posição de ataque", já que o jogador estaria em busca de foco ao aproximar seu rosto do televisor. As cores do desenho também fazem alusão às utilizadas pela GameStop. Às 14h20 (de Brasília), a alta era de 62%, com a ação a US$ 28,43.

Keith Gill foi um dos influenciadores que contribuíram para o hype que levou as ações da GameStop a dispararem quase 2.500% em menos de um mês no início de 2021. O movimento, na época, foi impulsionado pelo efeito "short squeeze", que ocorre quando uma forte valorização leva investidores vendidos (apostando na queda) a terem que encerrar suas posições devido às potenciais perdas. Só que para terminar essas posições vendidas, é preciso comprar as ações do mercado, impulsionando ainda mais o preço do ativo.

Caso GameStop

Isso ocorre porque para ficar vendido em uma ação, o investidor toma emprestado de um investidor e vende-a imediatamente. Para encerrar a posição, portanto, é feita a recompra e a devolução. A diferença entre o preço de venda (no início da operação) e de compra (no fim) é o lucro ou prejuízo do investidor que está vendido.

Dado as transformações da indústria de videogames, que migra cada vez mais para compras de jogos digitais, lojas que dependiam das vendas físicas dos jogos, como a GameStop, estiveram entre as grandes perdedoras. A tese parecia clara para os fundos e as posições vendidas chegaram a superar mais de 100% de todas as ações da GameStop. Mas um movimento impulsionado por pequenos investidores organizados pelas redes sociais fez o preço das ações disparar, provocando perdas significativas em grandes fundos, e até a quebra de um deles.

A forte alta, na época, chegou a assustar grandes fundos que, até então, nunca tinham visto algo da mesma magnitude. O short squeeze também chamou a atenção de reguladores e só perdeu força quando a corretora Robinhood, popular entre pequenos investidores, proibiu seus clientes de comprar ações da GameStop.

Desde o pico, em 2021, as ações da GameStop acumulavam 85% de queda até o fim da última semana.

Novas publicações

Ninguém sabe ao certo quão intenso e por quanto tempo irá durar a recente alta, mas Keith Gill tem se mostrado empolgado. Desde que sua primeira publicação em três anos provocou um rebuliço nas ações da GameStop, até o término da reportagem, o influenciador já havia realizado outras cinco postagens no X. Todas elas com cenas de filmes atreladas a mensagens de ressurgimento, confronto e união, que poderiam ser interpretadas como uma provocação de pequenos investidores a grandes fundos de Wall Street.

Acompanhe tudo sobre:Açõesbolsas-de-valores

Mais de Invest

Quina de São João: veja os números mais sorteados da história

Dólar bate R$ 5,47 e Ibovespa opera em queda de olho em votação do Copom

Caixa anuncia novos pagamentos do auxílio reconstrução às famílias do RS; veja como sacar R$ 5,1 mil

Copom, posse da presidente da Petrobras e incorporação da Soma pela Arezzo: o que move o mercado

Mais na Exame