• AALR3 R$ 20,11 -0.45
  • AAPL34 R$ 67,96 1.77
  • ABCB4 R$ 16,91 1.32
  • ABEV3 R$ 14,04 0.14
  • AERI3 R$ 3,78 3.85
  • AESB3 R$ 10,88 1.68
  • AGRO3 R$ 30,82 0.26
  • ALPA4 R$ 20,82 1.76
  • ALSO3 R$ 19,43 2.21
  • ALUP11 R$ 27,06 0.97
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,24 3.96
  • AMER3 R$ 23,93 1.96
  • AMZO34 R$ 64,59 -3.08
  • ANIM3 R$ 5,70 4.59
  • ARZZ3 R$ 80,36 -1.23
  • ASAI3 R$ 15,98 0.13
  • AZUL4 R$ 21,76 3.13
  • B3SA3 R$ 12,18 1.16
  • BBAS3 R$ 38,30 3.51
  • AALR3 R$ 20,11 -0.45
  • AAPL34 R$ 67,96 1.77
  • ABCB4 R$ 16,91 1.32
  • ABEV3 R$ 14,04 0.14
  • AERI3 R$ 3,78 3.85
  • AESB3 R$ 10,88 1.68
  • AGRO3 R$ 30,82 0.26
  • ALPA4 R$ 20,82 1.76
  • ALSO3 R$ 19,43 2.21
  • ALUP11 R$ 27,06 0.97
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,24 3.96
  • AMER3 R$ 23,93 1.96
  • AMZO34 R$ 64,59 -3.08
  • ANIM3 R$ 5,70 4.59
  • ARZZ3 R$ 80,36 -1.23
  • ASAI3 R$ 15,98 0.13
  • AZUL4 R$ 21,76 3.13
  • B3SA3 R$ 12,18 1.16
  • BBAS3 R$ 38,30 3.51
Abra sua conta no BTG

Fed vai reduzir estímulos em US$ 15 bi por mês ainda em novembro

Política monetária envolvia a compra de US$ 120 bilhões mensais em títulos; retirada gradual do programa é conhecida como ‘tapering’
Prédio do Federal Reserve em Washington | Foto: Reuters (Reuters/Kevin Lamarque)
Prédio do Federal Reserve em Washington | Foto: Reuters (Reuters/Kevin Lamarque)
Por Beatriz QuesadaPublicado em 03/11/2021 15:14 | Última atualização em 03/11/2021 16:16Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O Federal Reserve (Fed, banco central americano) anunciou nesta quarta-feira, 3, que vai começar a reduzir o ritmo de suas compras mensais de títulos ainda em novembro, até o final do mês. A retirada gradual dos estímulos é conhecida no mercado financeiro como ‘tapering’.

Dos atuais 120 bilhões de dólares comprados mensalmente pelo Fed, o processo de tapering prevê reduções de 15 bilhões de dólares a cada mês – 10 bilhões de dólares em títulos do Tesouro e 5 bilhões de dólares em títulos lastreados em hipotecas.

O Fomc, comitê de política monetária do Fed, afirmou em comunicado que a mudança veio "à luz do progresso substancial que a economia fez em relação às metas do Comitê desde dezembro passado".

A decisão, já aguardada pelo mercado, ocorre em meio aos altos índices de inflação, que vem se mostrando mais persistente nos Estados Unidos do que apontavam as primeiras expectativas. “Os desequilíbrios de oferta e demanda relacionados à pandemia e à reabertura da economia contribuíram para aumentos consideráveis de preços em alguns setores”, destaca o comunicado.

A autoridade monetária também assegurou que está pronta para fazer ajustes no processo, se necessário. “O Comitê julga que reduções semelhantes no ritmo de compras de ativos provavelmente serão apropriadas a cada mês, mas está preparado para ajustar o ritmo de compras se justificado por mudanças nas perspectivas econômicas”, afirma o comunicado.

Taxa de juros mantida

Como esperado, o Fomc optou por não aumentar as taxas de juros, que permaneceram no intervalo entre 0% e 0,25%. Em entrevista coletiva na sequência da divulgação do comunicado, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, enfatizou que o principal assunto da decisão era o tapering, e não uma futura alta de juros.

“A decisão de começar a reduzir as compras de ativos não implica qualquer sinal direto em relação à política de taxas de juros. Seria necessário um teste mais rigoroso para as condições econômicas antes de aumentar a taxa”, disse Powell. 

O Fed também manteve sua posição de que a inflação é transitória, reforçando a percepção de que não há pressa em subir as taxas após o encerramento do tapering no próximo ano.

Nos Estados Unidos, os índices reagiram positivamente à perspectiva de que os juros não devem subir tão cedo e renovaram as máximas após a divulgação da decisão.