Invest

Fed eleva juros dos EUA em 0,25 ponto percentual, na 10ª alta seguida

Taxa de juros subiu para intervalo entre 5,00% e 5,25% – maior patamar desde agosto de 2007

Fed: banco central americano elevou a taxa básica de juros pela 10ª vez consecutiva (Samuel Corum / Bloomberg/Getty Images)

Fed: banco central americano elevou a taxa básica de juros pela 10ª vez consecutiva (Samuel Corum / Bloomberg/Getty Images)

Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Repórter de Invest

Publicado em 3 de maio de 2023 às 15h08.

Última atualização em 3 de maio de 2023 às 16h54.

O Fomc, comitê do Federal Reserve (Fed) responsável por decidir a taxa de juros nos Estados Unidos, elevou a taxa em 0,25 ponto percentual (p.p.) nesta quarta-feira, 3, para o intervalo entre 5,00% e 5,25%. 

Esta é a décima alta consecutiva de juros nos EUA e coloca a taxa no nível mais alto desde agosto de 2007. O ciclo de alta, no entanto, poderia estar perto do fim.

Alguns sinais foram dados no comunicado, que retirou uma frase que vinha aparecendo nas comunicações passadas. A afirmação dizia que o Comitê antecipava "que novos ajustes seriam apropriados" para alcançar a meta de 2% da inflação. A falta da sentença poderia indicar que o ciclo de alta de juros chegou ao final nos EUA. 

A frase foi substituída pelo seguinte posicionamento: “o Comitê estaria preparado para ajustar a orientação da política monetária conforme apropriado caso surgissem riscos que pudessem impedir o alcance de suas metas”.

O discurso de Powell

Perguntado sobre a mudança, o presidente do Fed, Jerome Powell, disse que a alteração era “relevante”, mas que o encerramento ou não do ciclo seria abordado apenas na próxima reunião do comitê, em junho. “Uma decisão de encerramento de ciclo não foi tomada hoje”, disse. 

O BC americano deve se guiar pelos dados apresentados até lá para tomar a próxima decisão de política monetária. Segundo o comunicado, o Fed deve ficar atento às condições do mercado de trabalho, pressões e expectativas inflacionárias e consequências financeiras e internacionais da política monetária.

Powell reforçou ainda que a inflação "não deve cair de forma tão rápida". “Levará algum tempo e, nesse mundo, se essa previsão estiver correta, não seria apropriado cortar as taxas e [então] não cortaremos as taxas”, disse o presidente do Fed.

Veja também

Acompanhe tudo sobre:JurosFed – Federal Reserve SystemEstados Unidos (EUA)bolsas-de-valoresJerome Powell

Mais de Invest

Quina de São João: veja os números mais sorteados da história

Dólar bate R$ 5,47 e Ibovespa opera em queda de olho em votação do Copom

Caixa anuncia novos pagamentos do auxílio reconstrução às famílias do RS; veja como sacar R$ 5,1 mil

Copom, posse da presidente da Petrobras e incorporação da Soma pela Arezzo: o que move o mercado

Mais na Exame