Elon Musk repete receita usada no Twitter (TWTR34) com o YouTube

Uma série de tweets postados pelo fundador da SpaceX e CEO da Tesla (TSLA34) têm muitas semelhanças com o que ocorreu logo antes da compra do Twitter
 (NurPhoto/Getty Images)
(NurPhoto/Getty Images)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 08/06/2022 às 18:08.

Uma série de tweets publicados nos últimos dias por Elon Musk estão deixando muitos analistas do mercado americano com a dúvida se o homem mais rico do mundo está se preparando a comprar o YouTube.

A imprensa americana está apontando as semelhanças entre as mensagens postadas por Musk no começo do ano e sua estratégia de aquisição do Twitter (TWTR34). O que poderia ser um prelúdio para a compra do YouTube.

Por exemplo, em março de 2022 Musk começou a postar mensagens fortemente críticas às limitações da liberdade de expressão no Twitter.

Um mês depois, o homem mais rico do mundo apresentou uma oferta para comprar a rede social.

Agora, em junho de 2022, Musk começou a postar mensagens atacando o YouTube pela mesma razão.

E isso deixou muita gente intrigada se significaria que também está interessado em comprar essa plataforma.

Entretanto, tudo permanece no âmbito dos boatos, sem nenhuma ação concreta por parte do bilionário sul-africano, nem por parte do YouTube.

Elon Musk criticando o Twitter (TWTR34)

Na última terça-feira, 7, Musk twittou que o "YouTube parece ser uma série infinita de fraudes".

Além disso, o fundador da SpaceX e CEO da Tesla (TSLA34) compartilhou um meme mostrando o YouTube se enfurecendo com quem "xinga" outras pessoas em vídeos, mas ao mesmo tempo relaxado com a ideia de anúncios que contenham golpes e que estariam "em todos os lugares" da plataforma.

Musk adora postar mensagens utilizando memes. Tanto que, certa vez, chegou a escrever que "quem controla os memes, controla o Universo" .

Essas duas mensagens deixaram muitos observadores intrigados. Pois entre as questões centrais que Musk levou adiante desde o início na operação de compra do Twitter, a remoção de bots e fraudes da rede social era prioritária.

Com isso, começou no mercado a circular o boato de um interesse de Musk pelo YouTube.

Elon não desmentiu. Aliás, comentou esses boatos - que muitos usuários começaram a escrever respondendo para suas mensagens - comentando outro meme popular: um menino (Musk) segura uma menina pela mão (o Twitter), mas se vira para olhar outra menina (o YouTube).

YouTube poderia ser caro demais (até para Musk)

O YouTube é de propriedade da Alphabet (GOOG34), empresa que também controla o Google.

Em 2006, o Google comprou a plataforma de vídeo criada por Jawed Karim, Steve Chen e Chad Hurley por US$ 1,6 bilhão.

Hoje o YouTube vale entre US$ 170 bilhões de US$ 300 bilhões.

O valor do Google superou em 2020 a marca do US$ um trilhão.

Empresário visionário

Elon Musk é o visionário que tornou possível muitas coisas que não pareciam realizáveis.

Por exemplo pousar um foguete verticalmente, ou trazer astronautas americanos de volta à Estação Espacial Internacional (ISS) com a espaçonave SpaceX, decolando do território americano.

Ou assumir o controle da Tesla - que ele não fundou - e transformá-la, contra todas as probabilidades, na primeira montadora da história a atingir uma avaliação de US$ um trilhão.

Para Musk, no entanto, poderia ser mais fácil levar humanos até Marte do que comprar o YouTube.

O empresário, que tem uma fortuna pessoal de cerca de US$ 220 bilhões, é o homem mais rico do planeta. Mas isso não lhe permite comprar qualquer coisa.

No máximo, Musk pode se dar ao luxo, mais do que outros, de fazer piadas sobre suas reais possibilidades econômicas.

Como quando ele escreveu, depois de fechar o negócio com o conselho do Twitter, que compraria a Coca-Cola (COCA34) para “voltar a incluir cocaína nela” .

Mesmo para comprar o Twitter, que poderia valer um quarto do YouTube, Musk precisou juntar uma série de investidores para alcançar os US$ 44 bilhões necessários para a compra.