Acompanhe:

Eletrobras propõe incorporação de subsidiárias e resgate de ações ELET5

Companhia pretende se tornar a única acionista da CHESF, CGT Eletrosul, Furnas e Eletronorte

Eletrobras: Conselho propõe resgate de ELET5 por R$ 48,45 (Pilar Olivares/Reuters)

Eletrobras: Conselho propõe resgate de ELET5 por R$ 48,45 (Pilar Olivares/Reuters)

G
Guilherme Guilherme

Publicado em 6 de dezembro de 2022, 08h59.

O Conselho de Administração da Eletrobras irá propor a incorporção de subsidiárias e o resgate das ações preferenciais classe A (ELET5) em Assembleia Geral Extraordinária (AGE) de 5 de janeiro.

As ações ELET5, de acordo com a proposta, serão resgatadas por R$ 48,45 e, posteriormente, canceladas. Elas representam menos de 0,01% do capital da companhia. A baixa liquidez do papel, segundo a Eletrobras, é a razão principal de seu resgate. As ações de maior liquidez da companhia, vale lembrar, são as ordinárias (ELET3) e preferenciais de classe B (ELET6), que integram o Índice Bovespa.

As propostas, segundo a companhia, visam "obtenção de ganhos de sinergia e operacionais, bem como para a simplificação e melhoria de estruturas organizacionais e de governança das companhias envolvidas".

Subsidiárias a serem incorporadas

A incorporação proposta envolve as subisidiárias CHESF, CGT Eletrosul, Furnas e Eletronorte. O principal objetivo da operação é assegurar que a Eletrobras se torne a única acionista de suas controladas e proporcionar aos acionistas minoritários a escolha de migrarem para a base acionária da Eletrobras, fato relevante.

"Sob a ótica dos acionistas minoritários dessas controladas, é lógico e racional migrar para a base acionária da Eletrobras, a qual se encontra constituída em cima do formato de uma companhia aberta", afirmou a Eletrobras.