Dólar hoje: fechou em alta em dia de Índice de Preços de Gastos com Consumo (PCE) dos EUA

A moeda americana fechou em alta hoje

 (Craig Hastings/Getty Images)

(Craig Hastings/Getty Images)

Ana Cardim
Ana Cardim

Redatora

Publicado em 29 de fevereiro de 2024 às 09h22.

Última atualização em 29 de fevereiro de 2024 às 17h31.

O dólar hoje, 29, fechou em alta de 0,06% a R$4,972. Hoje (29), será divulgado o índice de preços de gastos com consumo (PCE), o indicador-chave acompanhado de perto pelo Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos.

Se os números apontarem para uma inflação robusta, é provável que o dólar se fortaleça em relação ao real, já que os investidores podem optar por alocar seus recursos em ativos de renda fixa nos Estados Unidos, especialmente se a perspectiva de queda dos juros se afastar. Por outro lado, caso os resultados mostrem uma inflação mais moderada, pode ocorrer uma busca por ativos de maior risco globalmente, o que pode beneficiar o real. Na última quarta-feira, 28, fechou em alta de 0,74% a R$4,969.

Quanto está o dólar hoje?

O dólar comercial hoje fechou em alta a R$ 4,972. Nas casas de câmbio, o dólar turismo abre a R$4,994.

Cotação do dólar

Dólar comercial

  • Venda: R$ 4,972
  • Compra: R$ 4,972

Dólar turismo

  • Venda: R$ 5,174
  • Compra: R$ 4,994

Qual a diferença do dólar comercial para o dólar turismo?

dólar comercial trata-se de milhares de dólares em transação no mercado de câmbio. Isso computa exportações, importações, transferências financeiras milionárias e que normalmente são feitas por grandes empresas e bancos.

Já o dólar turismo é comprado por pessoas físicas, normalmente em casas de câmbio, em menores quantidades para viagens ou até passado no cartão de crédito.

Por que o dólar turismo é mais caro?

cotação do dólar turismo é mais cara, pois são compras muito menores do câmbio, ao contrário das transações feitas por grandes empresas e instituições. Logo, seu custo operacional com transporte de notas e taxa de corretoras ficam mais alto.

Por que o dólar cai?

Basicamente, o preço em relação ao real é calculado em função da disponibilidade de dólares no mercado brasileiro. Ou, seja, quando há uma grande quantidade de moeda norte-americana no país, a tendência é que o preço dela caia em relação ao real, já a baixa disponibilidade da moeda, por outro lado, faz com que o câmbio norte-americano se valorize em relação a nossa moeda.

Banco Central também tem o poder intervir na cotação. Quando a moeda americana dispara, é comum que o órgão use parte de sua reserva para injetar dólares na economia. Com mais disponibilidade, a cotação da moeda americana tende a cair.

Quais os impactos da queda do dólar?

A queda do dólar frente ao real traz impactos significativos para a economia brasileira. Entre os principais efeitos estão:

  • Exportações: Com um real mais valorizado, as exportações brasileiras tornam-se mais competitivas, impulsionando o setor e favorecendo a balança comercial.
  • Inflação: Uma cotação do dólar mais baixa pode ajudar a conter a inflação, uma vez que reduz o custo de importação de produtos.
  • Investimentos estrangeiros: Um real mais forte pode atrair investimentos estrangeiros para o país, impulsionando a economia e estimulando o crescimento de diversos setores.
Acompanhe tudo sobre:DólarDólar comercial

Mais de Invest

Por que a NTN-B do Tesouro está pagando IPCA+6? Veja se vale a pena investir

Pé-de-meia: pagamento de R$ 200 por frequência começa dia 25

Receita Federal libera consulta ao lote residual do IR; veja se você recebe

Dólar volta a subir com tensões fiscais e expectativas nos mercados internacionais

Mais na Exame