Acompanhe:

Durante a reunião anual da Berkshire Hathaway, conglomerado administrado pelo bilionário Warren Buffett, o empresário afirmou que acredita que a inteligência artificial poderá mudar o mundo de várias maneiras, mas não vai superar a inteligência humana. "Novas coisas chegando não tiram as oportunidades", disse Buffett, que teve a chance de experimentar o ChatGPT quando seu amigo pessoal, Bill Gates, mostrou a ele há alguns meses. "Pessoalmente, sou cético com parte do `hype' que está acontecendo em inteligência artificial ", completou o vice-presidente da Berkshire Hathaway, Charlie Munger.

"Tribalismo político"

No encontro, Buffett reiterou também seu otimismo de longo prazo sobre as perspectivas para a América, mesmo com as divisões políticas de hoje. "O problema agora é que o partidarismo se moveu mais para o tribalismo e no tribalismo você nem ouve o outro lado", disse ele. Para o bilionário, os Estados Unidos se beneficiarão de um relacionamento comercial aberto com a China e portanto, os dois países devem ter cuidado para não exacerbar as tensões entre eles.

Buffett foi questionado sobre a turbulência do setor bancário noarte-americano nos últimos meses. Ele disse concordar com a decisão dos reguladores de proteger depósitos bancários, incluindo o do Silicon Valley Bank, que faliu em março. Se não tivessem feito isso, "teria sido catastrófico", disse.

O encontro anual

Buffett e Munger ficarão o sábado inteiro respondendo a perguntas na reunião anual da Berkshire Hathaway em uma arena lotada de Omaha, no Estado do Nebraska. Fora da arena, os pilotos da NetJets da Berkshire protestaram contra a falta de um novo contrato e grupos pró-vida carregavam cartazes declarando "os bilhões de Buffett matam milhões" para se opor às doações do conglomerado a grupos de direitos ao aborto.

Balanço da Hathaway

A Berkshire Hathaway divulgou, na última semana, que faturou US$ 35,5 bilhões no primeiro trimestre, mais de seis vezes os US$ 5,58 bilhões do ano passado. Buffett disse que os ganhos operacionais da Berkshire excluindo investimentos são uma medida melhor do desempenho da empresa. Por essa métrica, a operação da empresa cresceu quase 13%, para US$ 8,065 bilhões, acima dos US$ 7,16 bilhões do ano anterior.

Ele ainda afirmou aos acionistas que espera que os lucros operacionais da Berkshire continuem a crescer neste ano, embora a economia esteja desacelerando e muitos de seus negócios vendam menos em 2023. Ele disse que a Berkshire lucrará com o aumento das taxas de juros em suas participações e destacou que o mercado de seguros parece "bom" este ano.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Não é big tech: conheça as duas empresas que podem entrar no clube do trilhão
seloMercados

Não é big tech: conheça as duas empresas que podem entrar no clube do trilhão

Há um dia

Os incríveis números da Berkshire Hathaway: retorno de 4.400.000% e US$ 561 bilhões em ativos
seloMercados

Os incríveis números da Berkshire Hathaway: retorno de 4.400.000% e US$ 561 bilhões em ativos

Há 3 dias

Com bolsa nas máximas, ganho de Buffett no Japão supera trilhão de ienes
seloMercados

Com bolsa nas máximas, ganho de Buffett no Japão supera trilhão de ienes

Há 4 dias

Quem foi Charlie Munger, homenageado em carta anual de Warren Buffett
seloMercados

Quem foi Charlie Munger, homenageado em carta anual de Warren Buffett

Há 5 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais