Invest

Assembleia da Oi adiada, prévia da Tenda e recuperação do Petróleo: os assuntos que movem o mercado

Mercados internacionais operam mistos na manhã desta terça-feira, 9

Bolsas: mercado asiático fecha em alta, enquanto europeu abre em queda (Paulo Fridman/Getty Images)

Bolsas: mercado asiático fecha em alta, enquanto europeu abre em queda (Paulo Fridman/Getty Images)

Rebecca Crepaldi
Rebecca Crepaldi

Repórter de finanças

Publicado em 9 de abril de 2024 às 08h30.

Os mercados internacionais operam misto nesta terça-feira, 9. Enquanto na Ásia as bolsas fecharam majoritariamente em alta, na Europa, abriram em queda. Já o pré-mercado nos Estados Unidos (EUA) apresenta baixas. No Brasil, o Ibovespa Futuro sobe e alcança os 129 mil pontos.

Às vésperas da divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês), um dos principais indicadores econômicos americanos, e da da ata do Fomc (comitê de política monetária dos EUA), o mercado aguarda mais sinais sobre quando começará o corte de juros por lá.

Na Europa, na quinta-feira, 11, haverá a reunião do Banco Central Europeu (BCE) para decidir o rumo da política monetária por lá - e a expectativa é que as principais taxas de juros se mantenham inalteradas. Por aqui, destaque para a divulgação amanhã do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Oi (OIR3) adia assembleia

A 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Rio de Janeiro autorizou o adiamento da Assembleia Geral de Credores (AGC) da Oi (OIBR3). O encontro ocorreria já nesta quarta-feira, 10. Com a mudança, será em um hotel do Rio de Janeiro, às 11h no dia 17 de abril.

O adiamento prorroga o período no qual há a suspensão das ações de execuções devido a Recuperação Judicial (stay period, na sigla em inglês) e foi solicitado por um grupo relevante de credores internacionais, titulares de notas emitidas pelo Grupo Oi no exterior e por agências de fomento internacionais (Export Credit Agencies – ECAs). Esse grupo forma, em conjunto, o ‘Ad Hoc Group’.

Petróleo é negociado no maior valor em 5 meses

A guerra entre o grupo Hamas e Israel ainda pressiona o preço dos pretóleo. Isso porque o Oriente Médio, onde ocorre o conflito, corresponde por cerca de 60% da produção de petróleo no mundo. Por conta disso, o óleo está sendo negociado nesta terça-feira perto de sua maior cotação em cinco meses, segundo a Bloomberg.

Por volta das 8h15, o petróleo WTI era cotado a US$ 86,58 por barril, alta de 0,17%, enquanto o contrato do Brent subia 0,24% a US$ 90,60.

Alguns analistas já estão prevendo o petróleo acima de US$ 100 novamente, já que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP+) mantém seus cortes de produção. A cotação acima dos US$ 100 não acontece desde 2022.

Entretanto, rumores sobre um possível cessar-fogo em Gaza, estudado pelo grupo Hamas, pode despressionar o preço do petróleo - apesar de uma perspectiva de uma trégua imediata parecer distante.

Vendas da Tenda (TEND3) disparam

As vendas da construtora Tenda (TEND3) dispararam no 1º trimestre de 2024, como reportou a companhia em sua prévia. As vendas líquidas foram de R$ 884,1 milhões, aumento de 47,3% em relação ao mesmo trimestre de 2023.

Já a velocidade sobre a oferta líquida (VSO Líquida) alcançou a marca dos 31,2%, 6,4 p.p. (pontos percentuais) superior do que o 1T23. A companhia também lançou nove empreendimentos no período, totalizando R$ 675,4 milhões de VGV.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresOIBR3TendaPetróleo

Mais de Invest

Como fazer um testamento? Onde fazer? Quais os documentos necessários?

Para além da Nvidia: como o ChatGPT está mudando a dinâmica do mercado de ações, segundo a Gavekal

Prazo final do Imposto de Renda: MEI deve enviar duas declarações esta semana

Veja o funcionamento dos bancos no feriado de Corpus Christi e na sexta-feira

Mais na Exame