Acompanhe:

Arco, dona da SAS e COC, recebe proposta da General Atlantic e Dragoneer; ações sobem

Gestoras oferecem US$ 11 por ação; preço é mais de 20% superior ao último fechamento; oferta tem apoio de fundadores

Ari de Sá, da Arco, em IPO na Nasdaq (Arco/Divulgação)

Ari de Sá, da Arco, em IPO na Nasdaq (Arco/Divulgação)

G
Guilherme Guilherme

1 de dezembro de 2022, 10h44

A Arco Educação, holding dona das marcas SAS e COC, informou o mercado que recebeu uma proposta preliminar não-vinculante das gestoras General Atlantic e Dragoneer para a compra de suas ações classe A, listadas na Nasdaq, por US$ 11 cada. O preço representa um prêmio de 22% em relação à cotação do último fechamento. As ações da Arco disparam cerca de 14% no pré-mercado americano.

Para o acionista que entrou no ativo à epoca do IPO, em 2018, a proposta, no entanto, representa um desconto. O papel estreou na bolsa americana por US$ 17,50.  A ação se desvalorizou ao longo de 2022, especialmente a partir de maio, caindo mais de 50% num período de 12 meses, chegando ao patamar de US$ 9.

A proposta, de acordo com documento enviado à SEC, tem o apoio dos fundadores da companhia, Oto Brasil de Sá Cavalcante e Ari de Sá Cavalcante Neto, tendo firmado um acordo de exclusividade com os fundos. Pelos termos apresentados, os fundadores manterão as mesmas participações econômicas e de voto na empresa após a operação ser concluída. 

Oto Brasil de Sá Cavalcante detem cerca de 63% do poder de voto na Arco Educação, e Ari de Sá Cavalcante Neto, 27,5%. Isso porque eles são os maiores detentores de ações de classe B da Arco, que garante 10 votos por papel contra apenas 1 voto por ação de classe A, disponível para negociação no mercado.

A proposta, informaram as gestoras, não está vinculada a condições de financiamento e serão utilizados seus próprios fundos para honrar a totalidade da compra da Arco.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

A General Atlantic e a Dragoneer estão entre as principais acionistas da Arco, com cerca de 4% e 5,3% de participação na empresa, respectivamente.

"Como investidores e parceiros existentes e de longo prazo da empresa, acreditamos que somos particularmente adequados para liderar uma transação privada e fazer parceria para atingir seus objetivos estratégicos de longo prazo. Além disso, devido à nossa familiaridade com os negócios e operações, estamos bem posicionados para concluir as negociações", afirmou as gestoras em carta conjunta com os fundadores da Arco.