Inteligência Artificial

OpenAI firma acordo com Financial Times para treinar IA com notícias antigas

Parceria visa desenvolver tecnologia de IA generativa que cria textos, imagens e códigos, integrando resumos de artigos do FT em respostas do ChatGPT

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 29 de abril de 2024 às 09h25.

Última atualização em 29 de abril de 2024 às 09h28.

Tudo sobreInteligência artificial
Saiba mais

O Financial Times firmou um acordo com a OpenAI, permitindo que a startup apoiada pela Microsoft treine modelos de inteligência artificial usando o conteúdo arquivado da publicaçãoao inglesa. Essa colaboração é mais um exemplo dos crescentes laços entre desenvolvedores de IA e sites de notícias e jornais mundo a fora.

Pelo acordo, o FT licenciará seu material ao criador do ChatGPT para auxiliar no desenvolvimento de tecnologias de IA generativa capazes de criar textos, imagens e códigos indistinguíveis das criações humanas. Além disso, o acordo permite que o ChatGPT responda a perguntas com resumos curtos dos artigos do FT, incluindo links que direcionam os usuários para o site FT.com.

Isso significa que os 100 milhões de usuários do chatbot globalmente poderão acessar reportagens do FT através do ChatGPT, enquanto fornece um caminho de retorno ao material fonte original.

John Ridding, CEO do Financial Times, em textxt publicado no jornal, destacou as implicações mais amplas para a indústria em ao iniciar o movimento: "É correto que as plataformas de IA paguem aos publishers pelo uso de seu material. A OpenAI compreende a importância da transparência, atribuição e compensação — todos essenciais para nós".

Publishers e inteligência artificial cada vez próximos

Esse é o quinto acordo desse tipo firmado pela OpenAI no último ano, seguindo acordos similares com a Associated Press dos EUA, Axel Springer da Alemanha, Le Monde da França e Prisa Media da Espanha. Os termos financeiros não foram revelados.

No contexto de crescentes interações entre empresas de IA e publishers, a posição de barganha dos grupos de mídia noticiosa é mais forte quando podem fornecer material atualizado que pode ser importante para impulsionar alguns produtos de consumo de IA, conforme analisado pela Enders Analysis.

Acompanhe tudo sobre:OpenAIFinancial Times

Mais de Inteligência Artificial

O brasileiro vai se adaptar a conversar com robôs, diz head de atendimento do BB

Uso de IA já não é mais uma escolha, diz Marcelo Braga, CEO da IBM

Lenovo lança primeiros notebooks Copilot+ com chips Snapdragon X no Brasil

ChatGPT está fora do ar? IA generativa apresentou instabilidade nesta segunda, 17

Mais na Exame