Inteligência Artificial

Apple pode usar IA do Google em futuros iPhones, diz Bloomberg

As ações Classe A da Alphabet estavam 2,71% mais altas no pré-mercado com a notícia

Ferramenta do Google já foi criticada por ser tendenciosa em textos (Divulgação / Getty Images)

Ferramenta do Google já foi criticada por ser tendenciosa em textos (Divulgação / Getty Images)

Publicado em 18 de março de 2024 às 06h38.

Última atualização em 18 de março de 2024 às 08h08.

As ações da Alphabet, controladora do Google, subiram 2,7% nas primeiras negociações do pré-mercado nesta segunda-feira após a divulgação de que a Apple está em negociações para licenciar o Gemini, o sistema de Inteligência Artificial do Google para futuros iPhones. As informações são da Bloomberg.

A Bloomberg apontou que os dois gigantes da tecnologia estão "em negociações ativas" para que o Gemini potencialize certos novos recursos que devem ser lançados no software do iPhone ainda este ano.

As ações Classe A da Alphabet estavam 2,71% mais altas no pré-mercado às 5h45, enquanto suas ações Classe C subiam 2,41%. As ações da Apple estavam sendo negociadas com alta de 0,51%.

A Apple poderá lançar o iOS 18 - seu mais recente sistema operacional para o iPhone - em sua Conferência Mundial de Desenvolvedores, em junho, e dar algumas pistas do que pode vir por aí nessa possível parceria entre gigantes da tecnologia.

Vale lembrar que a Apple também conversou recentemente com a OpenAI, do ChatGPT, e considerou a possibilidade de usar seu modelo em futuros iPhones. Por enquanto, as negociações não avançaram.

Gemini é criticado por gerar respostas tendenciosas

O Google passou a maior parte do final de fevereiro sendo criticado por supostamente ter criado um chatbot de IA "woke" e acabou se desculpando.

Nos últimos dias, as críticas foram direcionadas à aparente falta de vontade do Google de gerar imagens de pessoas brancas por meio do chatbot Gemini. Agora, os críticos estão apontando problemas semelhantes com as respostas de texto do Gemini.

Conforme catalogado pelo analista de tecnologia Ben Thompson, citado pelo Business Insider, o Gemini teve dificuldade em dizer se Elon Musk ou Adolf Hitler foram piores para a sociedade; disse que não promoveria a carne; e também que não ajudaria a promover os combustíveis fósseis.

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialAppleGoogle

Mais de Inteligência Artificial

A história que a Globo precisou de inteligência artificial para contar

Reguladores dos EUA investigam Nvidia, Microsoft e OpenAI por conduta antitruste no mercado de IA

Esta empresa usa IA para conceder créditos a pessoas sem histórico financeiro

O que esperar do evento de novidades da Apple: iOS 18, macOS 15 e foco em IA

Mais na Exame