Inteligência Artificial

Inteligência artificial corporativa da Microsoft chega esta semana; saiba quanto vai custar

A implementação da ferramenta de IA generativa promete otimizar operações, com previsão de adesão por milhões de trabalhadores até 2024

Microsoft Copilot: pequenas e médias empresas terão que esperar para usar

Microsoft Copilot: pequenas e médias empresas terão que esperar para usar

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 31 de outubro de 2023 às 14h31.

Última atualização em 31 de outubro de 2023 às 17h26.

A partir de quarta-feira, 1, primeiro de novembro, o ambiente corporativo que utiliza os serviços do Microsoft 365 terá acesso ao Copilot, a ferramenta de inteligência artificial (IA) generativa da Microsoft. A disponibilização se dará em todos os aplicativos inclusos no pacote 365, onde o Copilot funcionará primordialmente como um assistente de trabalho.

A nova ferramenta será capaz de executar uma gama de funções como resumir chamadas de vídeo, elaborar rascunhos, responder e-mails e converter documentos do Word em apresentações do PowerPoint, conforme elucidado por Jared Spataro, vice-presidente corporativo de Aplicativos de trabalho e negócios na Microsoft.

As perspectivas de adesão são animadoras: 40% das empresas listadas entre os 100 destaques da Fortune já estão explorando o Copilot por meio de um programa de acesso antecipado, segundo revelou Satya Nadella, CEO da Microsoft, em fala pública.

Um estudo conduzido pela Forrester projeta que aproximadamente 6,9 milhões de trabalhadores nos EUA integrarão o Microsoft 365 com Copilot até o final de 2024.

Segundo relatos, a ferramenta tem potencial para economizar entre 15 a 30 minutos diários para os usuários, o que se traduz em até 10 horas por mês.

No quesito investimento, para incorporar o Copilot ao pacote 365, será necessário desembolsar uma taxa de US$ 30 por usuário, além dos US$ 50 já destinados ao pacote de aplicativos da Microsoft, com um requisito mínimo de aquisição de 300 licenças.

Entretanto, pequenas e médias empresas interessadas na ferramenta terão que aguardar. A data para a redução do número mínimo de licenças para uso corporativo ainda não foi definida pela Microsoft.

APRENDA A USAR INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL:

Acompanhe tudo sobre:MicrosoftInteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

Desmistificando a IA: como ela está transformando negócios e carreiras

IA vira arma para hackers e empresas se encontram sem profissionais qualificados

Para surfar a onda da IA, Samsung promete aos clientes fábrica de chips 20% mais rápida

Amazon enfrenta desafios para integrar IA generativa na Alexa, revelam ex-funcionários

Mais na Exame