Future of Money

Worldcoin, projeto de dono do ChatGPT, lança blockchain próprio

Iniciativa liderada por Sam Altman busca criar identidade digital global e recompensa usuários com criptomoedas

Sam Altman é um dos responsáveis pelo Worldcoin (Justin Sullivan/Getty Images)

Sam Altman é um dos responsáveis pelo Worldcoin (Justin Sullivan/Getty Images)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 18 de abril de 2024 às 12h00.

A Worldcoin, iniciativa criada pelo atual CEO da OpenAI, Sam Altman, anunciou na última quarta-feira, 17, a criação de um blockchain próprio, o World Chain. A empresa busca criar uma identidade digital global e afirmou que a nova rede avançará uma abordagem "centrada no ser humano" dentro do ambiente Web3.

Em um comunicado sobre o lançamento, a Worldcoin destacou que a nova iniciativa busca aumentar a eficiência e dar mais utilidade no mundo real para projetos que estão sendo desenvolvidos na Web3. O projeto conta atualmente com mais de 10 milhões de usuários e 75 milhões de transferências concluídas.

De acordo com os responsáveis pelo projeto, o novo blockchain é uma rede de segunda camada baseada na Ethereum e foi criado para atender às necessidades de escalabilidade da iniciativa. Tiago Sada, chefe de operações da Worldcoin, destacou que a rede prioriza humanos em relação a bots, ao contrário de blockchains que frequentemente enfrentam congestionamento devido à atividade de bots.

"Normalmente, o modo de funcionamento [das rede] é que cada conta está lutando por espaço de bloco. Normalmente, como os bots podem se mover mais rápido e superar os humanos as redes ficam saturadas com todas as transações para bots, e os humanos têm o que sobra — muitas vezes, eles nem conseguem entrar", comentou.

A solução da World Chain busca favorecer transações concluídas apenas pelos usuários que possuem a World ID, identidade digital criada pela Worldcoin e que busca garantir que um usuário é um humano, e não um robô. A identidade é obtida por meio de um escaneamento da íris do usuário, que em seguida recebe uma recompensa em WLD, a criptomoeda do projeto.

Sada destacou que o blockchain "vai ser uma rede aberta e com permissões como qualquer outra, mas vamos priorizar transações para humanos para que suas transações definitivamente entrem ´[na rede], e então o restante do espaço de bloco é como qualquer outro blockchain".

  • Uma nova era da economia digital está acontecendo bem diante dos seus olhos. Não perca tempo nem fique para trás: abra sua conta na Mynt e invista com o apoio de especialistas e com curadoria dos melhores criptoativos para você investir.  

Além disso, Sada explicou como os usuários verificados receberão uma concessão de taxa gratuita, minimizando o atrito para os novos usuários. O protocolo  busca um equilíbrio em que bots e usuários mais antigos eventualmente cubram as taxas de transação para usuários mais casuais.

A expectativa da Worldcoin é que o lançamento do blockchain ocorra no quarto trimestre de 2024, mas uma versão de testes para desenvolvedores será lançada "em breve". Além do lançamento de um blockchain próprio, o projeto também anunciou um controle maior da privacidade dos dados dos seus clientes após uma série de problemas com autoridades em diferentes países.

Sobre o tema, Saba disse que a supervisão intensa das autoridades é um "processo natural de introdução de um novo protocolo que está felizmente" escalando no ritmo da Worldcoin". "Quando qualquer projeto começa a escalar, é trabalho do governo entrar e garantir que tudo o que o projeto está dizendo seja realmente verdade. E acho que isso é completamente natural".

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasBlockchainSam Altman

Mais de Future of Money

Por que as marcas não podem ignorar o blockchain: a transformação da interação com o consumidor

A solução para as barreiras de liquidez global nos investimentos

Investidores institucionais não acreditam em alta do bitcoin no curto prazo, aponta relatório

Dolce & Gabbana é processada nos EUA após problemas em coleção de NFTs

Mais na Exame