Acompanhe:

Responsável por comandar a maior gestora de ativos do mundo, Larry Fink reforçou na última segunda-feira, 16, a visão positiva que a BlackRock possui em relação ao bitcoin e seu potencial como ativo de investimento. Em entrevista para o canal Fox Business, ele também falou sobre o pedido da gestora para lançar um ETF de preço à vista da criptomoeda.

Durante a entrevista, Fink foi questionado sobre uma informação falsa divulgada por diferentes sites de notícias, com destaque para o Cointelegraph, sobre uma possível aprovação pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) do pedido de lançamento do fundo negociado em bolsa, algo que foi negado pela própria BlackRock.

Entretanto, nos poucos minutos entre a divulgação da informação e a negativa da gestora, o bitcoin chegou a disparar mais de 10% e rondar a casa dos US$ 30 mil pela primeira vez em meses. Fink disse que "não posso falar sobre os detalhes de nada", mas que a alta pode ter sido "um exemplo do interesse reprimido em cripto".

"Estamos ouvindo clientes de todo o mundo sobre a necessidade de cripto”, destacou o CEO da BlackRock, que se recusou a falar sobre o andamento da análise do pedido pela SEC. Por outro lado, Fink acredita que nem toda a alta da criptomoeda observada na segunda-feira ocorreu apenas devido ao impacto do boato e à euforia posterior entre investidores.

"Parte dessa alta vai muito além do boato - acho que a alta de hoje tem a ver com uma fuga para a qualidade, com todas as questões em torno da guerra israelense agora, do terrorismo global, e acho que há mais pessoas realizando uma fuga para a qualidade", comentou, indicando que o bitcoin seria um ativo mais vantajoso em um momento de turbulência global.

Larry Fink e bitcoin

Em julho deste ano, Larry Fink também elogiou o bitcoin. Ele se referiu ao ativo como um "ouro digital", destacando o potencial que a criptomoeda possui como um ativo de proteção contra a inflação ao explicar as razões para a BlackRock querer ingressar nesse mercado.

Fink destacou que "nós tentamos fazer o que é correto para os investidores de longo prazo, e nós temos um bom histórico de trabalho com os reguladores para tentar garantir que estamos pensando em todos os problemas de qualquer solicitação. Trabalhamos bem de perto com os reguladores, e queremos saber quais são as questões deles e como resolvê-las".

O CEO da BlackRock destacou ainda que é preciso tornar o bitcoin "mais acessível, fácil de investir, tornar cripto mais democratizada e barata para os investidores". Na visão dele, atualmente ainda é caro transacionar com a criptomoeda, mas ele espera que "os reguladores vejam os pedidos [de ETFs] como uma forma de democratizar as criptomoedas".

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
'Coincidência' que fez bitcoin subir após halvings anteriores pode se repetir este ano, aponta BTG
Future of Money

'Coincidência' que fez bitcoin subir após halvings anteriores pode se repetir este ano, aponta BTG

Há 17 horas

Análise: bitcoin pode fechar 3 semanas em queda e tendência de alta perde força
Future of Money

Análise: bitcoin pode fechar 3 semanas em queda e tendência de alta perde força

Há 17 horas

Itaú acredita em bitcoin como "propriedade digital" para investidores, diz head de ativos digitais
Future of Money

Itaú acredita em bitcoin como "propriedade digital" para investidores, diz head de ativos digitais

Há 18 horas

Queda para US$ 50 mil ou alta para US$ 100 mil: tendência para o bitcoin está dividida
Future of Money

Queda para US$ 50 mil ou alta para US$ 100 mil: tendência para o bitcoin está dividida

Há 18 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais