Acompanhe:

O bitcoin disparou nos últimas dias e ultrapassou a casa dos US$ 43 mil, chegando ao seu maior preço em 2023. Entretanto, nem todos os investidores estão sendo beneficiados pela alta da criptomoeda. Dados da plataforma CoinGlass apontam perdas que chegam à casa dos US$ 170 milhões (cerca de R$ 830 milhões, na cotação atual).

O prejuízo está ligado a um grupo de investidores que "apostou" contra a alta da criptomoeda. A operação, conhecida no mercado como "short", envolve a negociação de contratos futuros de preço do ativo. Na prática, esses investidores aportaram capital em contratos que determinavam que o ativo não chegaria a uma determinada faixa de preço até um certo período de tempo.

Na última segunda-feira, 4, esses investidores perderam cerca de US$ 70 milhões na liquidação desses contratos. Já na última terça-feira, 5, as perdas ultrapassaram a casa dos US$ 90 milhões, segundo dados divulgados pela CoinGlass.

As liquidações dos contratos ocorrem quando os investidores atingem uma perda parcial ou total do valor aportado e deixar de ter os fundos necessários para manter aquele contrato aberto. Em geral, liquidações dessa magnitude ocorrem após movimentações significativas de preço.

Os dados da CoinGlass indicam ainda que a maioria das liquidações ocorreram nas corretoras de criptomoedas Binance, OKX e Huobi. Além disso, o volume negociado de bitcoin na última semana subiu 25%, reforçando o otimismo do mercado em relação ao ativo.

  • Para você que adora ler notícias de crypto, a Mynt é o aplicativo ideal para você. Invista e aprenda sobre crypto ao mesmo tempo com conteúdos descomplicados para todos os públicos. Clique aqui para abrir sua conta.

Por que o bitcoin está subindo?

Há alguns meses o bitcoin vem em uma escalada de alta através do otimismo renovado de investidores após a solicitação da BlackRock, maior gestora de ativos do mundo, para um ETF de bitcoin à vista nos EUA. Desde então, uma série de notícias e fatores macroeconômicos vem impulsionando o preço da maior criptomoeda do mundo para cima.

Segundo João Galhardo, analista de research da Mynt, plataforma de criptoativos do BTG Pactual, o bitcoin “segue sua tendência de alta fomentada pela perspectiva de um 2024 promissor para o mercado cripto, com potenciais ETFs à vista na bolsa norte-americana e um cenário macroeconômico benéfico para ativos de risco”.

“Os investidores parecem estar percebendo seus níveis de subexposição ao mercado das criptomoedas, corrigindo isso com aquisições que têm elevado os preços”, comentou Galhardo à EXAME, acrescentando que “a recente alta resultou na liquidação de mais de US$ 50 milhões em contratos futuros com posições short, desenvolvimento que desencadeou um efeito cascata, ampliando a escalada dos preços devido ao aumento da pressão compradora diretamente ocasionada pelas liquidações”.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Executivos da Binance são detidos enquanto Nigéria aperta cerco contra corretoras
Future of Money

Executivos da Binance são detidos enquanto Nigéria aperta cerco contra corretoras

Há 8 horas

Governo dos EUA movimenta R$ 4,5 bilhões em bitcoin após criptomoeda disparar
Future of Money

Governo dos EUA movimenta R$ 4,5 bilhões em bitcoin após criptomoeda disparar

Há 9 horas

Solana: criptomoeda que disparou em 2023 pode continuar subindo para US$ 600, diz analista
Future of Money

Solana: criptomoeda que disparou em 2023 pode continuar subindo para US$ 600, diz analista

Há 10 horas

Ações da MicroStrategy são uma 'jogada oportuna' diante do halving do bitcoin, diz Benchmark
Future of Money

Ações da MicroStrategy são uma 'jogada oportuna' diante do halving do bitcoin, diz Benchmark

Há 11 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais