Acompanhe:

Vender uma parte dos bitcoins adquiridos quando o mercado está em um estado de "ganância extrema" é uma estratégia de investimento mais lucrativa do que apenas comprar e manter os ativos. É o que apontam os resultados de uma estratégia de investimento na criptomoeda compartilhada nesta semana.

Um investidor compartilhou na rede social Reddit uma análise em que descobriu que há um retorno sobre investimento (ROI, na sigla em inglês) maior ao usar o Índice de Medo e Ganância Cripto para ditar uma estratégia de média de custo em dólar (DCA) em comparação com uma estratégia DCA "tradicional".

  • O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

A primeira estratégia do usuário envolveu aplicar a DCA de US$ 100 em bitcoin uma vez por semana, começando em 17 de março de 2018 até 9 de setembro de 2023, o que gerou um ROI de 124,8%.

Uma segunda estratégia também compartilhada envolveu um plano DCA escalonado, que compraria US$ 150 de bitcoin a cada semana durante períodos de "medo extremo", US$ 100 se os investidores estivessem em "medo", US$ 75 em "neutro", US$ 50 se em "ganância" e US$ 25 se em "ganância extrema".

A terceira estratégia foi semelhante à segunda, exceto que ela envolveu a venda de 5% do bitcoin acumulado a cada semana se os investidores do mercado cripto estivessem na zona de "ganância extrema". O plano acabou sendo a estratégia mais lucrativa, com um ROI de 184,2%, comparado ao de 124,8% da primeira estratégia e de 140,1% da segunda.

O usuário não explicou porque escolheu as datas em que as estratégias foram implementadas, mas disse que não seria justo escolher um fundo ou topo de mercado como parâmetro para o teste. O período cobriu pelo menos dois grandes mercados de baixa e um mercado de alta no mundo cripto.

No entanto, o próprio usuário admitiu que os testes não foram verificados por terceiros e enfatizou que os testes também devem ser conduzidos em mais intervalos de tempo para garantir que as estratégias são efetivas.

Banner newsletter Future of Money

As descobertas também não levaram em conta as taxas da rede Bitcoin para negociar, que muitas vezes atingem o pico em tempos de "ganância extrema". “Independentemente disso, estes são resultados muito convincentes a favor de ajustar sua estratégia DCA", comentou o investidor.

Além disso, os dados estão alinhados com a visão do Índice de Medo e Ganância Cripto de que correções de mercado normalmente ocorrem quando os investidores ficam muito gananciosos. O Índice de Medo e Ganância Cripto atualmente está em 75 pontos de um total de 100, representando um cenário de "ganância".

O índice caiu 15 pontos desde 5 de março, quando atingiu 90 pontos, representando uma "ganância extrema" — sua pontuação mais alta desde 20 de fevereiro de 2021.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Nem tudo é otimismo: especialistas questionam impacto do halving no preço do bitcoin
Future of Money

Nem tudo é otimismo: especialistas questionam impacto do halving no preço do bitcoin

Há 5 horas

Bitcoin terá "evento do ano": especialistas veem halving com otimismo e projetam disparada de preço
Future of Money

Bitcoin terá "evento do ano": especialistas veem halving com otimismo e projetam disparada de preço

Há 5 horas

Brasil vai colher frutos por liderar regulação de cripto na América Latina, diz executiva da Ripple
Future of Money

Brasil vai colher frutos por liderar regulação de cripto na América Latina, diz executiva da Ripple

Há 6 horas

Mineração de bitcoin atinge maior dificuldade da história antes do halving
Future of Money

Mineração de bitcoin atinge maior dificuldade da história antes do halving

Há 7 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais