Future of Money

Criptomoedas saem de lista do Fed com dez maiores riscos para economia dos EUA

Criptoativos perderam posições na pesquisa do banco central com investidores, com temores sobre geopolítica e inflação ganhando espaço

Guerra entre Rússia e Ucrânia e tensão entre EUA e China preocupam investidores mais que criptomoedas (Jirapong Manustrong/Getty Images)

Guerra entre Rússia e Ucrânia e tensão entre EUA e China preocupam investidores mais que criptomoedas (Jirapong Manustrong/Getty Images)

Cointelegraph Brasil

Cointelegraph Brasil

Publicado em 7 de novembro de 2022 às 10h52.

Última atualização em 7 de novembro de 2022 às 11h02.

Enquanto os defensores das finanças tradicionais continuam interessados em descartar o bitcoin e o ecossistema cripto devido aos seus riscos financeiros inerentes, uma pesquisa realizada pelo Federal Reserve Bank de Nova York — um dos 12 bancos federais dos Estados Unidos — revelou outros dez fatores que ofuscam as criptomoedas em termos de riscos financeiros em 2022.

Tensões geopolíticas, desinvestimentos estrangeiros, covid-19 e os altos preços de energia foram alguns dos riscos potenciais mais citados para a economia do país, de acordo com uma pesquisa do banco central dos Estados Unidos.

(Mynt/Divulgação)

Dos 14 fatores que representam um risco financeiro à economia, as criptomoedas caíram para a 11ª posição — revelando uma mudança na mentalidade dos investidores devido aos esforços contínuos dos empreendedores do setor para educação e esclarecimento de dúvidas e receios.

Algumas das preocupações levantadas pelos entrevistados estavam relacionadas à luta por poder das economias globais, que inclui as tensões entre EUA e China, a guerra entre Rússia e Ucrânia, preços de energia mais altos, inflação crescente, pandemia de covid-19 e ataques cibernéticos.

No entanto, prevalece uma posição anti-cripto quando se trata da avaliação de riscos de investimento em criptomoedas por parte da autarquia. O relatório aponta que os criptoativos citados — incluindo bitcoin, ether, BNB, Cardano e XRP — desvalorizaram cerca de 69% em comparação com os picos de preço de novembro de 2021.

O documento aponta ainda que “a especulação e o apetite ao risco parecem ser as principais forças motrizes dos preços dos criptoativos, que registraram grandes oscilações nos últimos anos.”

O Fed citou ainda o colapso do blockchain Terra, destacando que as entidades que tinham exposição direta à stablecoin TerraUSD (UST) se encontram em dificuldades financeiras, sendo que algumas foram à falência.

Para você que adora ler notícias de crypto, a Mynt é o aplicativo ideal para você. Invista e aprenda sobre crypto ao mesmo tempo com conteúdos descomplicados para todos os públicos. Clique aqui para abrir sua conta.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok  

Acompanhe tudo sobre:CriptoativosCriptomoedasEstados Unidos (EUA)Fed – Federal Reserve System

Mais de Future of Money

Segundas camadas do Bitcoin: explorando avanços e desafios na expansão da rede

O que fazer neste momento do mercado cripto?

Como um DJ famoso ganhou (e perdeu) milhões de dólares com NFTs

Após ETFs, o que vai ser do ether em junho? Especialista revela 3 previsões

Mais na Exame