Future of Money

Como montar uma carteira cripto lucrativa após a aprovação dos ETFs de ether?

Aposte em uma combinação inteligente de criptomoedas blue chips e small caps. Não entendeu? Leia a coluna para entender

SEC aprovou pedidos para lançamento de ETFs de ether (Reprodução/Reprodução)

SEC aprovou pedidos para lançamento de ETFs de ether (Reprodução/Reprodução)

Felippe Percigo
Felippe Percigo

Especialista em criptoativos

Publicado em 26 de maio de 2024 às 09h00.

Vivemos um momento histórico com a aprovação do ETF à vista de ether. Sim, temos muito a comemorar, mas precisamos ir com calma, porque tem muita água para rolar debaixo dessa ponte. Os fundos não estarão disponíveis imediatamente aos investidores como aconteceu com o ETF de bitcoin à vista.

A conquista representou não só uma vitória para o ether especificamente, mas para a criptoesfera como um todo, evidenciando uma nova mentalidade da SEC, a comissão de valores mobiliários norte-americana, diante dos ativos digitais.

Na última quinta-feira, 23, data da aprovação, o Índice de Medo e Ganância do mercado cripto apontou para ganância extrema, refletindo um excesso de confiança e de otimismo.

A expectativa é, sim, de uma alta significativa do ether, só que não no curtíssimo prazo. A cripto subiu quase 80% nos últimos seis meses e 26% apenas na última semana.

Logo após o aval da reguladora ao ETF, no entanto, aconteceu o famoso “sell the news” (“Compre o rumor, venda a notícia”), com investidores vendendo suas posições após a alta antecipada decorrente da expectativa de aprovação.

O novo ETF de ether deve atrair para a indústria cripto de US$ 15 bilhões a US$ 45 bilhões no primeiro ano de negociação, segundo estimativa do Standard Chartered Bank, que também prevê um salto do ativo a US$ 8 mil ainda este ano.

O ether é considerado uma “blue chip” na criptoesfera, ao lado do bitcoin. A conquista do ETF spot ajuda a reforçar ainda mais a reputação e aumentar a confiança do mercado no ativo, que até pouco tempo atrás estava sob o escrutínio da SEC.

Já tinha ouvido falar em blue chip no mercado de criptomoedas? Sabe o que são small caps?

Pois bem. Nesta coluna, vamos entender um pouco mais essas classificações das criptomoedas, suas semelhanças, diferenças e como usá-las na sua estratégia para montar um portfólio lucrativo.

Ao saber distinguir as categorias, fica mais fácil buscar as melhores oportunidades.

Blue chips

O termo blue chip veio do Poker e remete às fichas azuis do jogo, consideradas as mais valiosas. É uma expressão já popular no mercado financeiro tradicional, usada para descrever as ações das companhias de mais alta capitalização de mercado, e acabou sendo incorporada pelo criptomercado.

Blue chips ou Large Caps, como também são chamadas, são consideradas investimentos mais seguros porque costumam ter um histórico de crescimento constante de receita e lucro. Isso deixa essas ações/companhias mais atraentes para os investidores, com potenciais riscos mais baixos em relação a empresas menores e menos maduras.

Alguns exemplos são Nvidia, Amazon, Apple, Disney e Coca-Cola.

Em cripto, a lógica é a mesma. Blue chips são ativos digitais com alta capitalização de mercado (market cap). Podemos considerar blue chips as criptos posicionadas entre as 10/20 principais do ranking de market cap. Isso equivale a valores de capitalização superiores a US$ 5 bilhões.

O bitcoin atualmente soma US$ 1,3 trilhão de capitalização de mercado. Para se ter uma ideia, a Meta acumula US$ 1,9 trilhão.

Além de bitcoin e ether, Polygon, Solana e Cardano também estão na lista de blue chips.

5 principais características das blue chips

Histórico mais longo

Em geral, são criptomoedas que resistem ao teste do tempo, marcadas pela evolução constante e crescente adoção. Apenas com maturidade e consistência se constrói um crescimento sustentável. O bitcoin tem 15 anos de estrada. Já o ether foi lançado em 2015.

Reputação estabelecida

Não se ganha reputação do dia para a noite, é uma construção ao longo do tempo. A aprovação do ETF spot de ether, por exemplo, foi um passo importantíssimo na jornada da Ethereum para fortalecer a sua reputação.

Alta liquidez

Além de terem um grande volume de negociação, as blue chips são altamente líquidas. Isso significa que há uma grande quantidade de compradores e vendedores ativos no mercado, resultando em negociações a preços de mercado mais justos. A alta liquidez também permite que os investidores entrem e saiam do mercado com facilidade, sem grandes impactos nos preços dos ativos.

Atratividade para investidores institucionais

As blue chips são as escolhas de investimento de instituições financeiras como bancos e fundos, além de grandes investidores. Não à toa hoje temos ETFs de bitcoin e ether, dois ativos atrativos por sua maior estabilidade e potencial de crescimento sustentável.

Menor volatilidade

A volatilidade é uma característica muito forte das criptomoedas, dado que ainda temos um mercado muito jovem. Ainda assim, as blue chips tendem a ser menos vulneráveis às flutuações quando comparadas com outras criptos de menor porte.

Dito tudo isso, você pode pensar: “Então, só vou investir em blue chips, afinal elas são mais maduras, com melhor reputação e mais seguras”.

Sim, são mesmo ativos estabelecidos, menos voláteis e podem proteger o seu portfólio, mas não tendem a retornar com valorizações tão altas ou até mesmo aquelas explosivas que muitos desejam.

Para isso, existem as small caps.

Small caps

Antes, para o conhecimento de vocês, existe uma categoria intermediária entre as blue chips e as small caps, batizada de mid caps, que ficam ali entre as 20 e as 100 primeiras do ranking.

Em geral, incluem projetos cripto mais recentes que estão se destacando, e mostram um certo equilíbrio entre estabilidade e potencial de crescimento.

Já as small caps, como diz o nome, têm capitalização de mercado mais baixas. Podemos considerar nessa categoria os ativos posicionados além das 100 primeiras do ranking.

Existem milhares de small caps (incluindo as micro caps). São frequentemente projetos novos e de alto risco, mas podemos encontrar nesse palheiro iniciativas emergentes com alto potencial de crescimento. Por isso, não devemos subestimá-las, mas saber escolher e ter consciência do alto nível de risco que oferecem.

5 principais características das small caps

Alta volatilidade

Small caps são as montanhas-russas do mercado cripto. Elas podem subir ou cair drasticamente em períodos curtos de tempo. Ou seja: assim como são capazes de oferecer ótimas oportunidades aos investidores com grande apetite por risco e tolerância, também podem levar pessoas à ruína. E tudo rapidamente. Todo cuidado na gestão de risco é pouco.

Potencial de crescimento explosivo

Na contramão das blue chips, menos vulneráveis, as small caps são como foguetes prontos para decolar. Com uma capitalização de mercado menor, elas têm espaço para crescer exponencialmente se desenharem uma trilha de sucesso. Mas não se esqueçam: com grandes oportunidades vêm grandes riscos.

Inovação e risco

As small caps são frequentemente associadas à inovação e a tecnologias mais disruptivas. Muitas estão em busca de soluções inéditas que possam revolucionar setores inteiros. Por outro lado, o risco de falhar é considerável.

Menor visibilidade, grande potencial

Como não são tão conhecidas quanto as blue chips, as small caps podem representar algumas oportunidades ocultas. Investidores que são reais investigadores podem acabar descobrindo pequenas gemas e colhendo grandes recompensas.

Menor liquidez

Por conta de sua baixa capitalização de mercado, small caps têm menor liquidez em comparação com as blue chips. Isso pode resultar em spreads mais amplos e dificuldades na hora de executar ordens maiores de negociação.

Ter conhecimento das particularidades de cada grupo é o caminho para tomar decisões mais fundamentadas. Enquanto blue chips chamam a atenção pela solidez e atraem grandes investidores, small caps são vistas como promissoras, carregando tanto riscos elevados quanto potenciais explosivos de crescimento.

Saber combinar as duas vertentes de maneira inteligente é tanto um desafio quanto uma oportunidade. Tudo deve ser feito em linha com o seu perfil de risco e objetivos financeiros. Com uma boa pesquisa e abordagem estratégica, você pode navegar pelo mercado cripto de forma mais segura e, claro, sem abrir mão da rentabilidade.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Como um DJ famoso ganhou (e perdeu) milhões de dólares com NFTs

Após ETFs, o que vai ser do ether em junho? Especialista revela 3 previsões

Dado mostra economia dos EUA ainda aquecida: o que isso significa para o bitcoin e as criptomoedas?

Criador da Ethereum critica criptomoedas meme de celebridades

Mais na Exame