Future of Money
Acompanhe:

Entenda o movimento de alta das criptomoedas e as próximas tendências para bitcoin e ether

Principais criptos dispararam no início de 2023. Entenda porque o bitcoin e o ether estão subindo e se movimento pode continuar no curto prazo

Bitcoin e ether sobem 30% em 2023 (EDUARD MUZHEVSKYI / SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images)

Bitcoin e ether sobem 30% em 2023 (EDUARD MUZHEVSKYI / SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images)

D
Da Redação

17 de janeiro de 2023, 18h09

Por Lucas Costa*

A tímida recuperação se tornou motivo de comemoração para grande parte dos investidores nas principais criptos. O bitcoin renovou a máxima dos últimos três meses e voltou a trabalhar acima dos US$ 20.000, fazendo a criptosfera tirar antigos memes otimistas da gaveta. O movimento que acompanhamos parece ser a tempestade perfeita – novidades em relação ao caso da FTX, liquidação de US$ 500 milhões em posições vendidas, recuperação do S&P 500 e perda de força do dólar.

O gráfico abaixo mostra a comparação entre o bitcoin (branco), S&P 500 (azul) e o Índice Dólar (laranja). Tradicionalmente, acompanhamos uma relação positiva entre bitcoin e S&P 500, ou seja, movimentos de alta no índice de ações sinalizam um maior apetite ao risco de mercado e podem impulsionar movimentos de alta nas criptos. Porém, movimentos de alta do Índice Dólar (DXY), sinalizam busca por proteção e precificam o bitcoin para baixo.

  • Cansou de tentar falar com alguém da sua Exchange? Conheça a Mynt, a única no Brasil com atendimento 24 horas e todos os dias, feito por pessoas reais. Abra agora sua conta.

A análise da relação entre os ativos permite observar que desde outubro de 2022 temos uma recuperação do S&P 500 e enfraquecimento do dólar global. O movimento das criptos veio mais tarde, provavelmente provocado pelo impacto do newsflow negativo em relação à FTX, mas o cenário macro mostrava um potencial de recuperação. Obviamente, esse jogo de forças é mais difícil de ser observado no dia a dia, mas é importante sempre nos atentarmos com essas dinâmicas.

(TradingView/Reprodução)

O bitcoin subiu mais de 20% na última semana, após ter passado dois meses com baixo volume de negociação e sem deslocamento de preço, trabalhando perto dos US$ 15.000 dólares e flertando até mesmo com patamares mais baixos. O movimento dos últimos dias chama atenção pela sua violência, são praticamente doze dias de alta seguidos. A tendência no médio prazo ainda é de baixa, mas perdeu força no curto prazo.

No gráfico diário, acreditamos em continuidade no movimento de recuperação, caso o preço se mantenha acima da média móvel de 21 períodos. As principais resistências a serem rompidas são o topo anterior em US$ 24.500 e US$ 30.000. Acreditamos que as possíveis operações de compra para os próximos dias devem ter um posicionamento tático (alvos mais curtos e realizações em resistências relevantes).

(TradingView/Reprodução)

O ether, criptomoeda nativa da rede Ethereum, também se valorizou na última semana, apesar de esperarmos um movimento mais amplo. No gráfico diário, temos a superação da média móvel de 200 períodos, indicando aumento da pressão compradora.

O preço se aproximou de resistências relevantes, mas acreditamos em continuidade do movimento de alta, com próximas resistências em US$ 1.800 (setembro de 2022) e US$ 2.050 (agosto de 2022).

(TradingView/Reprodução)

*Lucas Costa é mestre em administração e economista pela Universidade Federal de Juiz de Fora, atuou como pesquisador acadêmico e professor nas temáticas de blockchain, criptomoedas e comportamento de consumo, sendo um dos fundadores do grupo de pesquisa Blockchain UFJF. Foi operador de câmbio em mesa proprietária com foco em análise técnica, e trader pessoa física em mercado futuro. Atualmente, é analista técnico CNPI do BTG Pactual digital, e apresenta a sala ao vivo de análises de maior audiência do Brasil.

Cansou de tentar falar com alguém da sua Exchange? Conheça a Mynt, a única no Brasil com atendimento 24 horas e todos os dias, feito por pessoas reais. Abra agora sua conta.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok