Acompanhe:

As ações da MicroStrategy estão entre as mais beneficiadas no mercado pela disparada recente no preço do bitcoin, que em poucas semanas foi da casa dos US$ 28 mil para mais de US$ 36 mil. A valorização dos papéis da empresa de tecnologia após os ganhos da criptomoeda refletem novamente o sucesso - até o momento - da estratégia da companhia em relação ao ativo.

Dados do Yahoo Finance apontam que as ações da MicroStrategy negociadas na bolsa de Nasdaq, nos Estados Unidos, acumulam uma valorização de 18,9% entre o dia 1º de novembro e esta segunda-feira, 27. Já no acumulado de outubro, os ganhos são de 28,97%. Considerando o desempenho em 2023, a alta é ainda maior: a ação passou de US$ 250 em janeiro para os US$ 500 atuais, subindo mais de 100%.

Os dados apontam ainda que os papéis atingiram na semana passada o maior valor de 2023, chegando aos US$ 513. O número é, também, o maior preço registrado para as ações desde março de 2022, quando ela chegou a ultrapassar os US$ 525. Desde então, porém, o ativo vinha acumulando perdas, acompanhando o próprio desempenho do bitcoin.

Já no início de 2023, as ações voltaram a se recuperar, alternando entre ganhos e perdas em alguns meses dependendo do momento do mercado cripto. Agora, com meses seguidos de ganho pelo bitcoin, os papéis voltaram a registrar um desempenho positivo, reforçando a correlação de comportamento entre as ações e a maior criptomoeda do mercado.

Bitcoin como reserva

Em 23 de outubro, a MicroStrategy possuía um total de 158.245 bitcoins avaliados em US$ 4,847 bilhões. O valor representa um aumento de cerca de US$ 132 milhões (R$ 662 milhões, na cotação atual) sobre o valor original investido — com o ativo sendo adquirido a um custo médio de US$ 29.870 por unidade. A empresa agora tem um lucro de pelo menos US$ 130 por unidade, sendo o maior investidor institucional da criptomoeda.

A MicroStrategy começou a comprar a criptomoeda em 2020, usando o ativo como reserva de valor, e aumentou as aquisições em 2023 à medida que o preço do ativo se recuperava de grandes perdas decorrentes da política de alta de juros do Federal Reserve nos Estados Unidos, bem como de falências e implosões de grandes empresas no mundo dos criptoativos.

Michael Saylor, o co-fundador e ex-CEO da MicroStrategy, se tornou um dos mais famosos entusiastas do ativo nos últimos anos. Ele também compartilhou dados mostrando que o bitcoin superou outros ativos tradicionais desde que a empresa adotou sua estratégia de compra de criptomoeda em agosto de 2020, defendendo sua estratégia.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Brasil alcança R$ 2,8 bilhões em aportes em fundos de criptomoedas
Future of Money

Brasil alcança R$ 2,8 bilhões em aportes em fundos de criptomoedas

Há 3 horas

País culpa criptomoedas por desvalorização de moeda local e quer banir corretoras
Future of Money

País culpa criptomoedas por desvalorização de moeda local e quer banir corretoras

Há 18 horas

Criptomoedas ligadas à inteligência artificial disparam após Nvidia divulgar lucro
Future of Money

Criptomoedas ligadas à inteligência artificial disparam após Nvidia divulgar lucro

Há 20 horas

Paris Saint-Germain será 1º clube esportivo validador de blockchain: o que isso significa?
Future of Money

Paris Saint-Germain será 1º clube esportivo validador de blockchain: o que isso significa?

Há 21 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais