Esporte

Volt Sport completa três anos com 10 clubes parceiros e expectativa de faturar R$ 125 milhões

Empresa fundada em 2021 busca se tornar a maior em seu segmento até 2028

Volt Sport: para 2024, a expectativa é que a companhia atinja um faturamento de R$ 125 milhões (Volt/Divulgação)

Volt Sport: para 2024, a expectativa é que a companhia atinja um faturamento de R$ 125 milhões (Volt/Divulgação)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 26 de maio de 2024 às 10h01.

Tudo sobreFutebol
Saiba mais

A Volt Sport, fornecedora de material esportivo 100% brasileira, completa, neste domingo, 26, três anos de sua fundação. Com uma fábrica própria em Joinville, interior de Santa Catarina, a empresa conta com 10 clubes parceiros nas séries A, B, C e D do Campeonato Brasileiro, somando cerca de 15 milhões de torcedores. Para 2024, a expectativa é que a companhia atinja um faturamento de R$ 125 milhões.

Apesar de lidar com nomes fortes do mercado, como Nike, Adidas, Umbro, Puma, entre outros, a empresa conta com um crescimento acelerado e deseja, até 2028, se tornar a maior em seu segmento no Brasil. Atualmente, a Volt conta com cerca de 400 colaboradores, produzindo 1 milhão de camisas por ano, sendo 70% para venda e 30% para enxoval. Além disso, a companhia tem aumentado o seu faturamento anualmente em 60%.

Totalmente brasileira, nasce nova marca de material esportivo Volt Sport

“Estamos muito orgulhosos de nossa trajetória até aqui. Nós idealizamos o projeto em 2021, entendendo o mercado e enxergando uma oportunidade de otimizar processos. Desde então, conseguimos levar o nome da Volt para 10 clubes parceiros, estampando a nossa marca em todas as divisões do futebol nacional. Ainda temos um longo caminho pela frente, com muitos objetivos a atingir, mas os resultados até agora nos mostram que estamos na direção correta”, celebra Fernando Kleimmann, sócio-diretor da Volt Sport.

No topo da lista

Na elite do futebol brasileiro, a companhia está empatada com a Adidas como a fornecedora de material esportivo de maior representatividade no campeonato, com três clubes parceiros: Fortaleza, Criciúma e Vitória. Até o momento, a empresa já abriu 50 lojas de instituições pelo país, com destaque para a Laion World, maior complexo temático de um time no Brasil. Desde a sua fundação, ao todo, a Volt Sport já vendeu mais de 1,5 milhões de peças.

“Quando a Volt entra em um clube, ele não precisa se preocupar com mais nada. Nós temos desde a fábrica até uma agência de marketing para entregar tudo para a instituição. Chamamos esse processo de atendimento 360º, que vai desde a confecção dos uniformes até a garantia de enxoval e operação de lojas oficiais. Muitas vezes os torcedores acabam elogiando o marketing do time por um trabalho que nós fizemos, justamente por unirmos diversas funções”, comenta Kleimmann.

Metas de venda

Com o trabalho nas instituições, a empresa produz materiais que ajudam na exposição da marca e também contribuem para manter a proximidade do torcedor com o seu time de coração, o que aumenta o engajamento entre essas partes, uma vez que o contato é ampliado por meio dos produtos elaborados. No Figueirense, por exemplo, a companhia conseguiu, em 3 meses, igualar o total de vendas dos dois anos anteriores.

Pelo Fortaleza, a Volt Sport conseguiu aumentar em 30% o faturamento da operação, arrecadando R$ 7 milhões em outubro do ano passado. A camisa 1 do clube já vendeu mais de 30 mil unidades e é o produto mais comercializado da companhia. No Vitória, a marca aumentou em 10 vezes a sua arrecadação após a parceria, passando de 1 loja para 6. Com o trabalho no Criciúma, a fabricante fez com que o Tigre atingisse uma renda de 800 mil reais por mês, sendo o maior caso na relação entre torcida e resultados das vendas.

Além do mercado brasileiro, a empresa pretende expandir seus negócios para a América do Sul. Ainda não há negociações avançadas com nenhum clube, porém a sondagem está sendo feita.

Acompanhe tudo sobre:FutebolFortalezaMarcas

Mais de Esporte

Quando começa a Copa América 2024? Veja programação e onde assistir

Anderson Silva x Chael Sonnen: entenda as regras da luta de exibição

NBA: após vencer a primeira contra os Celtics, Mavericks precisam de virada inédita; entenda

São Paulo terá fanfest para celebrar os Jogos Olímpicos de Paris

Mais na Exame