Esporte
Acompanhe:

NBA volta hoje e ficará marcada com recorde histórico de LeBron James

Camisa 6 do Los Angeles Lakers tem tudo para se tornar o maior cestinha de todos os tempos da liga, superando o lendário pivô Kareem Abdul-Jabbar

LeBron James: o futuro integrante do Hall da Fama do basquete deverá superar Kareem Abdul-Jabbar na lista de pontos anotados na maior liga do planeta (Thearon W. Henderson/Getty Images)

LeBron James: o futuro integrante do Hall da Fama do basquete deverá superar Kareem Abdul-Jabbar na lista de pontos anotados na maior liga do planeta (Thearon W. Henderson/Getty Images)

D
Da Redação

Publicado em 18 de outubro de 2022, 16h00.

Última atualização em 18 de outubro de 2022, 16h13.

Mais uma temporada da NBA começa hoje com diversos enredos, mas nenhum deles terá mais destaque que o marco histórico que LeBron James está prestes a alcançar. O futuro integrante do Hall da Fama do basquete deverá superar Kareem Abdul-Jabbar na lista de pontos anotados na maior liga do planeta.

Com 37.062 pontos marcados, o camisa 6 entra em sua 20ª campanha atrás apenas 1.325 em relação ao pivô, que cravou 38.387. E a perseguição continua hoje, com o Los Angeles Lakers enfrentando o atual campeão Golden State Warriors, comandado por Stephen Curry, às 23h (de Brasília), em São Francisco. A rodada dupla de abertura ainda conta com Boston Celtics e Philadelphia 76ers, às 20h30.

“As únicas vezes que penso nisso [recorde] é quando alguém posta nas redes sociais e acabo vendo. E, quando vejo, penso: ‘uau!’ Mas não fico calculando o que tenho que fazer ou qual a média que preciso manter para alcançar. Eu nunca levei minha carreira desta maneira. O que penso é chegar na melhor forma possível em cada temporada e estar disponível. Mas sentar aqui e estar prestes a quebrar um recorde tão longo me deixa mais humilde e é algo muito legal. Estar no mesmo patamar de Kareem, que usou esse mesmo uniforme, é incrível. Só espero que meus amigos e familiares estejam presentes na noite que isso acontecer”, declarou LeBron, durante a pré-temporada.

Se atuar em todas as partidas e mantiver a sua média da carreira de cerca de 27 pontos por jogo, James levará somente 49 partidas para ultrapassar a marca. Na última temporada, mesmo com algumas lesões, LeBron disputou 56 dos 82 jogos e manteve a média de 30 pontos a cada vez que entrou em quadra. Ou seja, somente uma contusão muito grave, capaz de o tirar por mais da metade do campeonato, impediria o recorde de ser quebrado. Adam Silver, comissário da NBA, já pode preparar as homenagens.

“Um recorde que demorou tanto tempo para ser quebrado mexe não só com o LeBron James, com o Lakers, mas também com toda a liga e tudo o que gira em torno dela. Por exemplo, se ele ultrapassar o Kareem em uma partida em Houston, em Memphis, em Miami, qualquer cidade se mobilizará para receber esse evento memorável. A rede hoteleira é afetada, o comércio ganhará uma injeção de receitas, produtos serão consumidos... A NBA é especialista em registrar momentos como esse e deve preparar uma série de ações para quando o feito de fato ocorrer. Com toda a certeza ela já tem tudo planejado. Não é só a marca LeBron James que cresce, a NBA também capitaliza em cima”, avalia Pedro Melo, Chief Commercial Officer (CCO) do Atlético-MG e responsável pelos contratos de patrocínios do clube.

Segundo a revista Forbes, LeBron James é o segundo atleta mais bem pago do mundo, atrás somente de Lionel Messi. E sua receita vem em maior parte de fora das quadras. Do montante de US$ 121 milhões (R$ 637 milhões), 66,1% é arrecadado por meio de patrocínios e parcerias.

“LeBron James já é mais que um dos maiores atletas da história do basquete. É um ícone global, um gerador de tendências, uma marca. Que se fortalece ainda mais atingindo números impensáveis. O que vai ser feito em torno desse grande momento? Eventos, produtos, conteúdo… Certamente o 'Team LeBron' e a NBA já têm grandes planos para extrair o máximo dessa história”, analisa Armênio Neto, especialista de marketing, ex-gerente do Santos Futebol Clube.

É verdade também que LeBron aceita ganhar menos de suas equipes para trazer mais ajuda em quadra, pois a NBA funciona com teto salarial e as franquias não podem buscar reforços sem adequar suas folhas de pagamentos. E, após o fracasso na última temporada, em que não conseguiu sua vaga nos playoffs, o Lakers vem atrás da redenção e assinou com uma boa contratação. Além de manter a estrutura com James, Anthony Davis e Russell Westbrook, a equipe californiana foi atrás do polêmico e ótimo defensor Patrick Beverley.

O Los Angeles, no entanto, terá concorrência pesada dentro de sua própria conferência. O Warriors vem forte em busca de mais um título e conta com o retorno de Wiseman, jovem promissor que perdeu a última temporada lesionado. O Denver Nuggets, do MVP Nikola Jokic, também terá a volta do all-star Jamal Murray. O Clippers, rival da cidade, é outro candidato, após o retorno de Kawhi Leonard. Do outro lado, no Leste, Giannis Antetokounmpo poderá contar novamente com seu parceiro Khris Middleton no Bucks.

De acordo com o mundo das apostas, o Golden State Warriors é o favorito para chegar a mais uma final de NBA, com odds de 4.00 (para cada R$ 1 real apostado a casa paga R$ 4). Na outra conferência, o principal concorrente é o Boston Celtics, com odds de 3.85. As duas equipes foram as últimas finalistas. No entanto, o Warriors é o favorito para conseguir mais um anel (7.00), seguido do Celtics (7.20), Bucks (7.60), Clippers (7.60) e Nets (8.20). O Nets poderá ter a estreia de Ben Simmons, além da liberação de Kyrie Irving, que pôde atuar somente em partidas fora de casa na última temporada, pois se recusou a ser vacinado.

“Vemos uma disparada nas apostas voltadas para o basquete, sobretudo na NBA, maior liga do mundo. A popularidade da competição no Brasil cresceu demais nos últimos anos e isso reflete em todos os segmentos. O interesse do brasileiro no basquete e na NBA pode ser visto em números expressivos: somente no ano passado, 80% de nossas apostas no mercado de basquete foram direcionadas para jogos da NBA. A noite de estreia, como hoje, e a primeira semana, a procura é ainda maior”, revela Hans Schleier, diretor de marketing da Casa de Apostas.

Além do recorde de Kareem, que persiste desde 1984, quando o camisa 33 superou outra lenda do garrafão, Wilt Chamberlain, LeBron também pode passar Magic Johnson na lista de assistências. Ocupando a sétima colocação na história deste fundamento, o camisa 6 está a 96 passes para cestas de superar o maior ídolo do Lakers. Magic, que teve sua aposentadoria acelerada por conta do vírus HIV, disputou apenas 13 temporadas e tem 460 jogos a menos que James.

A longevidade é o que mais impressiona em LeBron e o principal fator para os seus recordes. Quanto aos pontos, vale lembrar que Jabbar atuou boa parte de sua carreira sem a linha de três, adotada em 1979, e tentou apenas 18 arremessos da marca em toda a carreira, acertando somente um. Michael Jordan, considerado o maior jogador da história, esteve em ação 294 vezes menos que James. O eterno camisa 23 do Chicago Bulls é o líder de pontos por jogo na história, com 30,1. Somente ele e Wilt Chamberlain estão acima da barreira dos 30.

A longevidade também fará LeBron James cravar outro recorde impressionante. Caso seja selecionado para mais um All Star Game, o Jogo das Estrelas da NBA, o ala atingirá a marca de 19 participações consecutivas. Ele só não foi escolhido ou votado pelos fãs na sua temporada de calouro, pelo Cleveland Cavaliers, em 2003/2004.

Kareem Abdul-Jabbar e LeBron não possuem uma boa relação. O pivô já criticou o atual ala do Lakers por algumas posições sociais ou falta delas. Quando James postou um meme sobre a semelhança da covid com outras doenças, o ídolo histórico afirmou que o jogador deveria “se envergonhar” de certas atitudes. Em outra oportunidade, LeBron disse que não possui qualquer tipo de relação com o ex-jogador.

Veja também: