ESG

Apoio:

logo_suvinil_500x252
Logo TIM__313x500
logo_unipar_500x313
logo_espro_500x313
logo_engie_500X252

Parceiro institucional:

logo_pacto-global_100x50

Desmatamento zero e monitoramento dos fornecedores: as práticas ESG da Caramuru Alimentos

No ano passado, a companhia também iniciou a produção e comercialização do etanol de soja no complexo industrial de Sorriso (MT), com capacidade anual de 9,5 milhões de litros, dos quais 72% serão comercializados no mercado brasileiro

Operação da Caramuru, em Sorriso, no Mato Grosso (Caramuru/Divulgação)

Operação da Caramuru, em Sorriso, no Mato Grosso (Caramuru/Divulgação)

Marina Filippe
Marina Filippe

Repórter de ESG

Publicado em 18 de junho de 2024 às 07h00.

A Caramuru Alimentos, uma das maiores processadoras de milho, soja e biocombustíveis do país, trabalha a sustentabilidade partindo de três compromissos: desmatamento zero, monitoramento da matéria-prima adquirida, e não aceitação de inconformidades na cadeia de fornecimento.

Na prática, isso se dá por meio de programas como o Sustentar, criado no ano passado, com o lançamento de um selo que garante o rastreamento de todas as matérias-primas, e uma certificação. Para isso, os agrônomos visitaram produtores parceiros para a avaliação da performance social, ambiental e econômica com base em 164 indicadores.

A certificação integra atualmente 13,61% dos 5.224 fornecedores, o que corresponde aproximadamente a 395.000 hectares. O objetivo é atingir 85% no nível de conformidades e 20% de participação até 2025. “Por meio do Sustentar é possível rastrearmos a origem dos grãos que recebemos, atestando a ética e o compromisso sustentável deles. Dessa maneira, garantimos pilares como plantação em áreas livres de desmatamento e manejo adequado da terra, desde a primeira etapa até a mesa do consumidor”, afirma Júlio Costa, diretor-presidente da Caramuru.

Outro destaque é a produção de combustíveis limpos e renováveis por meio da agricultura familiar. Com isso, ao longo do ano, foram 291.925 créditos de descarbonização emitidos — um aumento de 18,62% em relação a 2022, com a comercialização de 436.053,93 m3 de biodiesel em plantas certificadas pelo RenovaBio.

No ano passado, a companhia também iniciou a produção e comercialização do etanol de soja no complexo industrial de Sorriso (MT), com capacidade anual de 9,5 milhões de litros, dos quais 72% serão comercializados no mercado brasileiro; e 28%, consumidos internamente como insumos.

O programa de Liability Management, em 2022, captou 956 milhões de reais via Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRA). Esse recurso está alinhado aos Green Bonds Principles. Há também o Pré-Pagamento à Exportação (PPE) Sustentável, firmado no valor de 80 milhões de dólares, com metas para redução das emissões de gases de efeito estufa e rastreabilidade da cadeia de fornecedores de matéria-prima. No ano passado foi aprovado, ainda, um plano de investimento para plantação de 224 hectares de floresta de eucalipto e aquisições de florestas em pé para corte e colheita em 2024 e 2025.

A Caramuru investe em melhoria de processos, como a produção de energia fotovoltaica que alimenta 59 armazéns. Ou ainda em uma turbina de cogeração mais moderna para melhor eficiência energética. Há também um investimento de 180 milhões de reais para a construção de armazéns, diminuindo a necessidade
de transporte da soja.

Acompanhe tudo sobre:Melhores do ESGAlimentos

Mais de ESG

Bromélia da Amazônia pode ser alternativa ao plástico do petróleo

Bruno Gagliasso é novo sócio da startup Mara, de alimentação a preço acessível

Redes de pesca, roupas e pneus: expedição quer identificar os microplásticos presentes nos oceanos

Trauma climático, capital e investimento privado

Mais na Exame