Pimentel diz que regime do IPI não vai mudar

Ministro do Desenvolvimento afirma que as indústrias interessadas em produzir no Brasil podem apresentar suas propostas
Segundo Pimentel, um dos grandes desafios do Brasil é trazer sua indústria e sua economia para o século XXI (Alexandre Battibugli/EXAME)
Segundo Pimentel, um dos grandes desafios do Brasil é trazer sua indústria e sua economia para o século XXI (Alexandre Battibugli/EXAME)
E
Eduardo TavaresPublicado em 30/09/2011 às 20:43.

São Paulo – O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, disse que o governo não vai mudar as regras do IPI para carros importados. Ele afirmou, entretanto, que as indústrias têm liberdade para apresentar suas propostas ao governo.

“Temos um novo regime automotivo que não será alterado. Se empresas sérias quiserem vir ao Brasil, investir e produzir aqui, elas terão suas propostas examinadas. Até agora não recebemos nada, mas já temos sinalizações”, disse o ministro, que participou do EXAME Fórum.

O ministro foi encarregado, pela presidente Dilma Rousseff, de comandar as negociações com as montadoras estrangeiras. A mais próxima de apresentar uma proposta concreta é a Hyundai, que deve inaugurar fábrica em Piracicaba, interior de São Paulo.

Ultrapassado

Pimentel disse ainda que um dos maiores desafios do país é trazer a economia e a indústria nacionais para o século XXI. Segundo ele, o padrão que impera no Brasil ainda é do século passado. “Ainda há muito o que fazer, e não só o governo, mas os empresários têm que fazer sua parte.”

Para o ministro, a prioridade do país é o foco em inovação, pesquisa e desenvolvimento de produtos. “Não conseguiremos competir se não tivermos capacidade de inovar. E este é o objeto do plano Brasil Maior”, disse.