Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Lira diz que autonomia do Banco Central é 'marca mundial' e 'não retroagirá'

Na quarta-feira, líderes petistas na Câmara decidiram apoiar um convite para que Campos Neto vá ao Congresso explicar a política de juros da instituição

Modo escuro

 (Bruno Spada/Câmara dos Deputados/Agência Câmara)

(Bruno Spada/Câmara dos Deputados/Agência Câmara)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 9 de fevereiro de 2023, 15h10.

Última atualização em 9 de fevereiro de 2023, 15h12.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quinta-feira, 9, que a autonomia do Banco Central, aprovada em 2021 pelo Congresso, "não retroagirá". A declaração, feita durante o evento Show Rural, em Cascavel (PR), ocorreu em meio a críticas do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e de governistas no Legislativo à atuação da autoridade monetária e de seu presidente, Roberto Campos Neto.

"Eu tenho a escuta, a tendência do que a maioria do plenário pensa. Com relação à independência do Banco Central, esse assunto não retroagirá", disse Lira, em coletiva de imprensa, por volta das 12 horas. "O Banco Central independente é uma marca mundial, o Brasil precisa se inserir neste contexto", emendou o deputado, ao afirmar que a autonomia foi o modelo escolhido pelo Congresso para o BC.

Na quarta-feira, líderes petistas na Câmara decidiram apoiar um convite para que Campos Neto vá ao Congresso explicar a política de juros da instituição. Horas antes, o ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, havia afirmado que não há nenhuma ação no governo para reverter a autonomia do BC.

Após uma reunião da base aliada na quarta, o líder do PT na Câmara, Zeca Dirceu (PR), disse que assinou um requerimento de urgência apresentado pelo PSOL para que Campos Neto seja convidado a dar explicações na Câmara sobre a taxa básica de juros, a Selic, mantida em 13,75% na semana passada pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do BC.

Líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE) afirmou que também vai assinar o documento.

De acordo com Dirceu, também foi discutida na reunião da quarta-feira da base governista a possibilidade de se formar uma comissão de deputados que iriam ao BC levar questionamentos a Campos Neto. O líder do PT na Câmara disse que não houve consenso em torno dessa proposta, mas que ela não foi descartada por completo.

Antes de entrar na reunião, o líder do PSOL na Câmara, Guilherme Boulos (SP) afirmou que também não há consenso na base do governo para apoiar o projeto de lei que revoga a autonomia do BC. O PL foi anunciado na quarta pelo PSOL, após Lula intensificar as críticas ao nível da Selic.

Boulos chegou a chamar Campos Neto de "infiltrado" do ex-presidente Jair Bolsonaro e do ex-ministro da Economia Paulo Guedes. Para o deputado, o presidente do BC age para boicotar a retomada do crescimento econômico ao manter a Selic no nível atual.

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG) afirmou na quarta-feira que a autonomia do BC é um avanço que afasta critérios políticos de uma instituição que tem um aspecto técnico muito forte. O senador também disse que Campos Neto é um "homem bem preparado".

Últimas Notícias

ver mais
Preço da gasolina subiu até 5,48% nos postos após ajuste do ICMS, aponta Ticket Log
Economia

Preço da gasolina subiu até 5,48% nos postos após ajuste do ICMS, aponta Ticket Log

Há 6 horas
IPCA recua e fecha em 0,23% em maio; inflação está em seu menor patamar desde 2020
Economia

IPCA recua e fecha em 0,23% em maio; inflação está em seu menor patamar desde 2020

Há 10 horas
OCDE eleva previsão do PIB do Brasil em 2023 e 2024, com impulso do agronegócio
Economia

OCDE eleva previsão do PIB do Brasil em 2023 e 2024, com impulso do agronegócio

Há 10 horas
Custo de vida no Brasil tem alta de 1,83% no trimestre
Economia

Custo de vida no Brasil tem alta de 1,83% no trimestre

Há 12 horas
icon

Branded contents

ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais