Economia

Leilão da Celg-D será reagendado após falta de interesse

Segundo a pasta, investidores interessados em participar do certame não entregaram documentos e depósito de garantias exigidos dentro do prazo limite


	Celg-D: "Agora nós vamos trabalhar para tentar reduzir a percepção de risco, trazer um preço que seja atrativo para o mercado"
 (Reprodução)

Celg-D: "Agora nós vamos trabalhar para tentar reduzir a percepção de risco, trazer um preço que seja atrativo para o mercado" (Reprodução)

DR

Da Redação

Publicado em 16 de agosto de 2016 às 15h30.

Brasília - O leilão para privatização da distribuidora de energia Celg-D, controlada pela estatal Eletrobras, que ocorreria na sexta-feira, será remarcado, informou nesta terça-feira o Ministério de Minas e Energia.

Segundo a pasta, investidores interessados em participar do certame não entregaram documentos e depósito de garantias exigidos para o certame dentro do prazo limite, encerrado ao meio dia desta terça.

Caberá ao ministério e ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) reavaliar os parâmetros de formação do preço da companhia.

"Agora nós vamos trabalhar para tentar reduzir a percepção de risco, trazer um preço que seja atrativo para o mercado, melhorar as condições gerais e avançar. Não muda em nada nossa determinação de vender", disse o secretário-executivo do ministério, Paulo Pedrosa, a repórteres em Brasília.

"As condições gerais do país vão ser certamente mais estáveis no momento da próxima venda", disse ele, sem mencionar uma possível data para o leilão.

O processo de venda do controle da distribuidora foi iniciado em maio de 2015, com o edital sendo publicado 12 meses depois.

A Celg-D é uma empresa controlada pela Eletrobras, que detém 50,93 por cento do seu capital social, e pelo Governo de Goiás, que possui 49 por cento do capital da empresa por meio da holding CELGPar.

A empresa é responsável pelo atendimento de 237 municípios do Estado de Goiás, com 2,61 milhões de unidades consumidoras.

Acompanhe tudo sobre:CelgEmpresasEmpresas estataisEstatais brasileirasLeilõesMinistério de Minas e Energia

Mais de Economia

Plano Real, 30 anos: Luiz Carlos Trabuco Cappi e a moeda como um símbolo nacional

Setor de serviços se mantém estável em maio, após dois meses de alta

Indústrias gaúchas terão auxílio financeiro para recuperar o maquinário

Justiça impede taxação de imposto de heranças e bens no exterior, ampliando decisão do STF

Mais na Exame