Economia

Guedes nega que PEC seja populismo fiscal e diz que programa não é eleitoreiro

Segundo Guedes, o problema foi corrigido com a redução dos impostos que incidem sobre os combustíveis

Guedes: ele declarou que o governo acertou ao criar um voucher para caminhoneiros e em aumentar o valor do Auxílio Brasil (Marcos Corrêa/PR/Flickr)

Guedes: ele declarou que o governo acertou ao criar um voucher para caminhoneiros e em aumentar o valor do Auxílio Brasil (Marcos Corrêa/PR/Flickr)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 14 de julho de 2022 às 12h14.

Última atualização em 14 de julho de 2022 às 12h16.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quinta-feira que a primeira versão da PEC "Kamikaze" tinha um custo até quatro vezes superior a que foi aprovada pelo Congresso Nacional e era mal desenhada ao dar subsídios para a gasolina. As declarações foram feitas durante a coletiva de divulgação do Boletim Macrofiscal.

Segundo Guedes, o problema foi corrigido com a redução dos impostos que incidem sobre os combustíveis. Além disso, ele declarou que o governo acertou ao criar um voucher para caminhoneiros e em aumentar o valor do Auxílio Brasil.

"Logo no início de agosto, beneficiários do Auxílio Brasil receberão parcela adicional. Caminhoneiros, taxistas, vulneráveis e idosos receberam ajuda de forma tecnicamente correta. A PEC não é Kamikaze é a PEC das Bondades. Quem não tem preparo ou está em militância não entende diferença entre PECs", disse.

O ministro ainda declarou que o governo continua comprometido com o reequilíbrio das contas públicas.

"Fiscal está forte, falar em populismo fiscal é fake news. Continuam falando em desequilíbrio fiscal, quando garantimos que PEC não terá impacto líquido. O déficit primário está zerado, nenhum outro país fez isso. O Congresso está moderando demandas políticas e focalizando programas sociais", disse.

Segundo Guedes, os Estados estavam quebrados e agora estão com superávit consolidado. Ele ainda disse que guerra escalou e o governo usou o mesmo protocolo usado na pandemia. "Se há fome e pessoas estão cozinhando com lenha, então programa não é eleitoreiro. Não pode haver sabotagem quando o País está lutando para sobreviver", afirmou.

LEIA TAMBÉM: 

'Prévia do PIB': IBC-Br recua 0,11% em maio ante abril, com ajuste, na segunda queda seguida

 

Acompanhe tudo sobre:Auxílio BrasilCaminhoneirosCongressoGasolinaPaulo GuedesVale-gas

Mais de Economia

Governo sobe previsão de déficit de 2024 para R$ 28,8 bi, com gastos de INSS e BPC acima do previsto

Lula afirma ter interesse em conversar com China sobre projeto Novas Rotas da Seda

Lula diz que ainda vai decidir nome de sucessor de Campos Neto para o BC

Mais na Exame