Espanha seguirá Bruxelas em decisão sobre meta de déficit

Espanha se diz comprometida a cortar déficit para 4,4% do PIB em 2012

Madri - A Espanha deixará nas mãos de Bruxelas decidir se uma possível recessão tornará necessário afrouxar as metas de déficit orçamentário para este ano, disse o ministro espanhol da Fazenda e Administração Pública em entrevista publicada neste domingo.

A Espanha se disse comprometida a cortar o déficit para 4,4 por cento do PIB em 2012, apesar de ter ficado em 8,2 por cento em 2011, muito acima da meta de 6 por cento. O país salientou que há poucas perspectivas de crescimento.

"Temos que ser realistas. Como disse o FMI, o cenário mudou e o governo está esperando Bruxelas mudar (a própria meta) e adaptá-la para a situação", declarou Cristóbal Montoro ao jornal La Vanguarda.

Ele disse que, quando Bruxelas estabeleceu 4,4 por cento como meta de déficit para a Estpanha, a economia estava prevista para crescer 2,3 por cento.

"Naquela situação, haveria maior receita com impostos, mas, em um cenário de recessão, a arrecadação cairá novamente", disse o ministro.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que a Espanha encolherá em 2012 e 2013, de acordo om prévia do relatório World Economic Outlook (WEO) publicada na quinta-feira pela agência de notícias Ansa.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.