Economia

Coronavírus desencadeia nova onda de demissões nos EUA

Na semana anterior, 2,4 milhões de americanos ficaram sem emprego, o que indica uma desaceleração nos pedidos

Estados Unidos: total de pedidos desde o início da pandemia no novo coronavírus já passa de 40 milhões (Zave Smith/Getty Images)

Estados Unidos: total de pedidos desde o início da pandemia no novo coronavírus já passa de 40 milhões (Zave Smith/Getty Images)

R

Reuters

Publicado em 28 de maio de 2020 às 09h51.

Última atualização em 28 de maio de 2020 às 10h04.

O número de norte-americanos que solicitou auxílio-desemprego se manteve acima de 2 milhões na semana passada pela décima semana consecutiva, em meio a cortes de empregos por governos estaduais e locais dos Estados Unidos, cujos orçamentos foram dizimados na luta contra a pandemia do Covid-19, e a uma segunda onda de demissões no setor privado.

Os novos pedidos de auxílio-desemprego totalizaram 2,123 milhões, com ajuste sazonal, para a semana encerrada em 23 de maio, ante 2,446 milhões na semana anterior, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira.

Economistas consultados pela Reuters previam que as reivindicações cairiam para 2,1 milhões na última semana, ante o número de 2,438 milhões relatado anteriormente.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusDesempregoEstados Unidos (EUA)Seguro-desemprego

Mais de Economia

Congelamento de R$ 15 bi no Orçamento será oficializado nesta segunda

Brasil exporta 31 mil toneladas de biscoitos no 1º semestre de 2024

Corte anunciado por Haddad é suficiente para cumprir meta fiscal? Economistas avaliam

Qual é a diferença entre bloqueio e contingenciamento de recursos do Orçamento? Entenda

Mais na Exame