• AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
  • AALR3 R$ 20,06 1.88
  • AAPL34 R$ 70,18 -4.39
  • ABCB4 R$ 16,60 -1.95
  • ABEV3 R$ 14,20 -3.60
  • AERI3 R$ 3,78 -2.83
  • AESB3 R$ 10,66 -1.39
  • AGRO3 R$ 30,75 -2.81
  • ALPA4 R$ 20,98 -2.37
  • ALSO3 R$ 19,47 -3.23
  • ALUP11 R$ 26,41 0.19
  • AMAR3 R$ 2,38 -2.46
  • AMBP3 R$ 30,90 1.95
  • AMER3 R$ 22,96 -0.26
  • AMZO34 R$ 67,68 -6.44
  • ANIM3 R$ 5,52 -3.33
  • ARZZ3 R$ 82,09 -0.82
  • ASAI3 R$ 15,48 -2.21
  • AZUL4 R$ 21,30 -4.01
  • B3SA3 R$ 11,54 -3.03
  • BBAS3 R$ 35,85 -1.59
Abra sua conta no BTG

Comércio eletrônico brasileiro deve crescer 12% em 2018

Segundo Ebit, a Copa do Mundo deve servir como gatilho de vendas para muitas categorias em 2018
Comércio eletrônico: a expectativa de crescimento de 12 por cento este ano sinaliza uma desaceleração em relação à alta de 21,9 por cento apurada em 2017 (Getty Images/Getty Images)
Comércio eletrônico: a expectativa de crescimento de 12 por cento este ano sinaliza uma desaceleração em relação à alta de 21,9 por cento apurada em 2017 (Getty Images/Getty Images)
Por Gabriela Mello, da ReutersPublicado em 09/03/2018 14:22 | Última atualização em 09/03/2018 14:22Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - O comércio eletrônico brasileiro deve crescer 12 por cento em termos nominais neste ano e faturar 53,5 bilhões de reais, com o aumento do número de pedidos diante da migração cada vez maior de usuários do varejo físico para o online, informou nesta sexta-feira a consultoria Ebit.

Para empresa de informações sobre o comércio eletrônico, a Copa do Mundo deve servir como gatilho de vendas para muitas categorias em 2018, mas as eleições presidenciais podem frear o consumo no segundo semestre de 2018.

A expectativa de crescimento de 12 por cento este ano sinaliza uma desaceleração em relação à alta de 21,9 por cento apurada em 2017, quando o faturamento do e-commerce chegou a 73,4 bilhões de reais em meio à consolidação das vendas por meio de marketplaces para produtos novos e usados, de acordo com o levantamento.

"O sucesso do modelo de marketplace no Brasil depende da equalização de três fatores fundamentais, que são a fácil e rápida integração de lojistas, gestão da qualidade de atendimento e serviços destes parceiros e excelência nos processos operacionais para gestão de estoque, frete e entrega", disse André Dias, diretor executivo da Ebit, em nota.

No ano passado, o segmento de telefonia e celulares contribuiu com 21,2 por cento do faturamento total do e-commerce, enquanto moda e acessórios representou 14,2 por cento.