Com alta nos alimentos, inflação de São Paulo dispara

Índice de Preços ao Consumidor de São Paulo subiu 1,12% em setembro, a maior alta do ano
Entre outubro de 2019 e setembro de 2020, a inflação acumulada é de 4,34% (Tom Werner/Getty Images)
Entre outubro de 2019 e setembro de 2020, a inflação acumulada é de 4,34% (Tom Werner/Getty Images)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 02/10/2020 às 08:36.

Última atualização em 02/10/2020 às 08:43.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que calcula a inflação na cidade de São Paulo, acelerou para uma alta de 1,12% em setembro, acima do intervalo do Projeções Broadcast, do sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, que estava entre 1,02% e 1,08%, com mediana em 1,07%. O resultado é o maior do ano até aqui. Em agosto, o IPC teve crescimento de 0,78%, que era até então o resultado maior de 2020.

Entre outubro de 2019 e setembro de 2020, a inflação acumulada é de 4,34%. Já desde janeiro do ano atual, ela é de 2,50%, de acordo com o IPC-Fipe.

Entre os componentes da pesquisa do mês de setembro, houve aceleração do IPC mensal em Alimentação (de alta de 1,27% em agosto a um avanço de 2,15% em setembro); Transportes (de avanço de 0,71% em agosto a 0,82% em setembro); Despesas Pessoais (de alta de 0,51% a um avanço de 1,66%). Vestuário passou de um recuo de 0,76% em agosto e uma alta de 0,67% em setembro.

O item Educação manteve alta de 0,01% em agosto e em setembro. Já Habitação desacelerou de um crescimento de 0,98% em agosto para uma alta de 0,64% em setembro.