• AALR3 R$ 19,80 0.25
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,48 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,75 1.03
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,95 1.32
  • ALUP11 R$ 26,22 -0.11
  • AMAR3 R$ 2,39 7.17
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,68 2.73
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,40 -0.11
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,18 2.42
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,80 0.25
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,48 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,75 1.03
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,95 1.32
  • ALUP11 R$ 26,22 -0.11
  • AMAR3 R$ 2,39 7.17
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,68 2.73
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,40 -0.11
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,18 2.42
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Brasil fecha 2018 com 14,7 gigawatts de capacidade eólica instalada

Número teve um aumento de 15,7% em relação ao ano passado; país conta com 583 parques eólicos em 12 Estados
Energia eólica: Brasil deve fechar 2024 com capacidade instalada de 19 MW (Thinkstock/NanoStockk)
Energia eólica: Brasil deve fechar 2024 com capacidade instalada de 19 MW (Thinkstock/NanoStockk)
Por Estadão ConteúdoPublicado em 04/02/2019 14:49 | Última atualização em 04/02/2019 14:49Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Rio - A capacidade instalada de energia eólica no Brasil subiu para 14,7 gigawatts (GW) em 2018, um aumento de 15,7% em relação ao ano passado, informou a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica). Ao todo, o Brasil já conta com 583 parques eólicos em 12 Estados, com destaque para o Rio Grande do Norte (150) e Bahia (135).

De acordo com a Abeeólica, considerando a matriz elétrica brasileira em dezembro de 2018, a participação da energia eólica era de 9%, sendo a terceira fonte mais representativa.

A biomassa, segunda fonte, representava 9,1% da matriz no final do ano passado.

"Dentro de pouco tempo, a eólica passará a ser segunda fonte da matriz elétrica brasileira, um feito realmente histórico para uma fonte que se desenvolveu de maneira mais intensa há pouco menos de dez anos", afirmou em nota a presidente executiva da Abeeólica, Elbia Gannoum, lembrando que, quando a indústria começou, em 2011, o País tinha menos de 1 GW.

"Em 2012, estávamos no 15º lugar no Ranking de Capacidade Instalada do Global Wind Energy Council. Agora já estamos a caminho de completar 15 GW e ocupamos a 8ª posição no ranking", informou a executiva.

De acordo com projeções da associação, somente levando em conta os contratos já assinados para construção de parques eólicos, o Brasil vai fechar 2024 com capacidade instalada de 19 MW de energia eólica.