A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Brasil descarta suspender acordos bilaterais com o Egito

Egito está entre os principais parceiros do Brasil entre os países islâmicos, ao lado de Arábia Saudita, Turquia e Irã

Brasília – O governo brasileiro descarta a hipótese de suspender os acordos bilaterais com o Egito, apesar do agravamento da crise no país, disse hoje (21) à Agência Brasil o emissário brasileiro para o Oriente Médio mais a Turquia e o Irã, embaixador Cesário Melantonio Neto.

O diplomata alertou que a situação no país é acompanhada com preocupação pelo Brasil, devido ao receio de vir a ocorrer uma guerra civil na região.

“O Brasil acompanha com preocupação o que ocorre no Egito porque há um receio [da comunidade internacional] sobre a possibilidade de uma guerra civil. Defendemos a busca de uma solução por meio do diálogo e de uma saída democrática”, ressaltou Melantonio Neto.

Mesmo com o impacto da Primavera Árabe, em 2011, no Egito, o país não reduziu o volume de comércio com o Brasil. Ao lado da Arábia Saudita, a Turquia e o Irã, o Egito está entre os principais parceiros do Brasil entre os países islâmicos. Em 2012, o volume do comércio bilateral atingiu US$ 2,7 bilhões.

A reação do Brasil ocorre no mesmo momento em que os chanceleres dos 28 países que integram a União Europeia anunciaram hoje a suspensão das licenças de exportação de equipamentos de segurança e de armas para o Egito. Em reunião extraordinária, em Bruxelas (capital da Bélgica), os ministros decidiram rever a ajuda ao Egito, em resposta à onda de violência que, em três dias, matou 750 pessoas no país.

Melantonio Neto lembrou que o Brasil condena a violência contra civis e a violação aos direitos humanos no Egito. Ele ressaltou que, na semana passada, após a onda de violência, o embaixador do Egito no Brasil, Hossam Edlin Mohamed Ibrahim Zaki, foi chamado ao Ministério das Relações Exteriores, Itamaraty, para prestar esclarecimentos e ouvir das autoridades brasileiras o protesto em relação aos confrontos no país.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também