• AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
  • AALR3 R$ 20,07 -0.64
  • AAPL34 R$ 68,92 3.20
  • ABCB4 R$ 16,74 0.30
  • ABEV3 R$ 14,10 0.57
  • AERI3 R$ 3,85 5.77
  • AESB3 R$ 10,95 2.34
  • AGRO3 R$ 30,96 0.72
  • ALPA4 R$ 20,80 1.66
  • ALSO3 R$ 19,47 2.42
  • ALUP11 R$ 27,24 1.64
  • AMAR3 R$ 2,48 2.90
  • AMBP3 R$ 31,15 3.66
  • AMER3 R$ 24,11 2.73
  • AMZO34 R$ 66,30 -0.51
  • ANIM3 R$ 5,55 1.83
  • ARZZ3 R$ 79,40 -2.41
  • ASAI3 R$ 16,00 0.25
  • AZUL4 R$ 21,94 3.98
  • B3SA3 R$ 12,15 0.91
  • BBAS3 R$ 38,56 4.22
Abra sua conta no BTG

Vendas no varejo de material de construção caem 7% em abril

Os números do mês foram afetados por sazonalidade, de acordo com presidente da Anamaco, Cláudio Conz

	Construção: o setor teve retração de 6% nos últimos 12 meses e de 11% no acumulado do ano
 (Antônio Cruz/Agência Brasil)
Construção: o setor teve retração de 6% nos últimos 12 meses e de 11% no acumulado do ano (Antônio Cruz/Agência Brasil)
Por Lucas HirataPublicado em 02/05/2016 19:49 | Última atualização em 02/05/2016 19:49Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - As vendas de material de construção no varejo recuaram 7% em abril, na comparação com março, de acordo com dados do estudo mensal realizado pelo Instituto de Pesquisas da Anamaco, com o apoio da Abrafati, Instituto Crisotila Brasil, Anfacer e Siamfesp.

O desempenho de abril ficou 2% abaixo do registrado em igual mês de 2015. Com isso, o setor teve retração de 6% nos últimos 12 meses e de 11% no acumulado do ano.

O levantamento ouviu 530 lojistas, das cinco regiões do País, entre os dias 26 e 30 de abril. A margem de erro é de 4,3%.

Os números do mês foram afetados por sazonalidade, de acordo com presidente da Anamaco, Cláudio Conz.

"Tradicionalmente, abril não é um bom mês para o setor, mas para completar tivemos o mês com menos chuvas em 16 anos. As chuvas atrapalham quando estão acontecendo, obrigando o consumidor a adiar as obras, mas a falta delas também prejudica o nosso setor, pois acaba gerando menos manutenção ou estragos e, consequentemente, menos demanda por obras", declarou.

Conz disse ainda que o resultado no mês também reflete o atual cenário político e econômico do País. "Toda vez que temos um cenário como o atual, as pessoas tendem a segurar novos investimentos e a evitar gastos, com medo do futuro incerto", afirmou o executivo.

Para ele, os gastos com obras acabam concorrendo com outras despesas, como alimentos, vestuário e eletroeletrônicos.

Segundo o levantamento, a região Centro-Oeste foi a que apresentou melhor resultado no mês, com crescimento de 2% sobre março. Já as demais regiões se retraíram com diferentes índices.

No Nordeste, a queda foi de 5%, seguida pelo Norte, que teve desempenho negativo de 7%. As regiões Sudeste e Sul apresentaram as maiores retrações: -9% e -10%, respectivamente.

Entre as categorias pesquisadas, telha de fibrocimento foi a que apresentou maior queda no mês (-7%), seguida de louças sanitárias (-6%), tintas (-5%) e revestimentos cerâmicos (-5%).

Fechaduras, ferragens e metais sanitários não apresentaram variação com relação ao mês anterior.