Alimentos pressionam alta do IPCA-15 de janeiro, diz IBGE

As despesas com o grupo Alimentação e Bebidas passaram de um aumento de 0,59% em dezembro para 0,96% em janeiro

Rio - Os preços dos alimentos aceleraram o ritmo de alta na passagem de dezembro para janeiro. As despesas com o grupo Alimentação e Bebidas passaram de um aumento de 0,59% em dezembro para 0,96% em janeiro, o que fez o grupo ter o maior impacto sobre a inflação medida pelo IPCA-15 no mês, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O impacto do grupo para a taxa de inflação cresceu de 0,14 ponto porcentual para 0,24 ponto porcentual no período.

Em janeiro, as carnes ficaram 3,91% mais caras, o segundo item com maior contribuição para o IPCA-15 do mês, com impacto de 0,10 ponto porcentual. Apenas a gasolina contribuiu mais para a inflação no período, com impacto de 0,11 ponto porcentual.

No grupo Alimentação e Bebidas, as carnes também foram destaque, seguidas por elevações de preços em outros itens importantes para o orçamento das famílias, como cenoura (16,30%), cebola (14,33%), frutas (4,34%), hortaliças (4,57%), arroz (1,49%), pão francês (1,04%), refeição fora (0,94%) e lanche fora (0,95%).

Transportes

O grupo Transportes foi o principal responsável pela desaceleração no IPCA-15 na passagem de dezembro para janeiro. A variação do grupo passou de 1,17% em dezembro para 0,43% em janeiro.

No mesmo período, o IPCA-15 passou de uma taxa de 0,75% para 0,67%. Os preços das passagens aéreas tiveram uma queda de 16,32% em janeiro, o que resultou na maior contribuição negativa para o IPCA-15 do mês, de -0,10 ponto porcentual.


Além de desacelerar o grupo Transportes, a redução nas tarifas aéreas praticamente compensou a alta nos preços da gasolina em janeiro.

O litro de gasolina ficou 2,90% mais caro, resultando na maior contribuição positiva para a inflação do mês, de 0,11 ponto porcentual. Também pesaram mais no bolso do consumidor em janeiro o etanol, que subiu 4,34%, e o óleo diesel, que aumentou 3,52%.

Serviços

A taxa do grupo Serviços de janeiro apresentou desaceleração significativa em relação a dezembro. É o que mostram cálculos da Votorantim Corretora. Os preços de Serviços registraram inflação de 0,50% em janeiro, depois de um aumento de 1,10% no IPCA-15 de dezembro.

O resultado contrariou as expectativas dos analistas que participaram da pesquisa do AE Projeções, que esperavam entre alta de ,61% a 0,93%, o levou à mediana de 0,74%.

Quanto aos preços administrados, a Votorantim informou que houve aceleração, com a taxa ficando em 0,73% no IPCA-15 de janeiro, ante 0,64%. O número calculado pela corretora ficou abaixo da mediana de 0,74% (previsões de 0,60% a 0,83%).

Em relação aos preços livres, a taxa divulgada de 0,65% no IPCA-15 deste mês ficou menor que a apurada em dezembro, de 0,78%, de acordo com a Votorantim. Na pesquisa do AE Projeções, as previsões iam de 0,77% a 0,87%, com mediana de 0,84%.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.