Casual

Vinho tinto: nacional, sim. E de qualidade

Depois de investir em tecnologia, pesquisa e formação de enólogos experientes, o Brasil começa a produzir bons vinhos tintos. Pode acreditar

O custo/ benefício dos nacionais ainda é ruim quando comparado ao de chilenos e argentinos do mesmo nível (Wayne Langley / Stock Xchng)

O custo/ benefício dos nacionais ainda é ruim quando comparado ao de chilenos e argentinos do mesmo nível (Wayne Langley / Stock Xchng)

DR

Da Redação

Publicado em 1 de agosto de 2011 às 19h24.

“Estamos vivendo um ótimo momento na evolução dos vinhos tintos brasileiros. O investimento em tecnologia e em profissionais treinados geraram resultados, como medalhas de ouro e prata em concursos internacionais”, diz Sérgio Costa, sommelier do restaurante paulistano Kaá. “Alguns tintos nacionais já atingiram o nível de muitos vinhos europeus jovens”, completa Jô Barros, sommelier do DUI.

Foi-se o tempo em que vivia apenas de bons brancos a vinicultura brasileira. Hoje ela vem produzindo rótulos tintos cada vez mais sofisticados e balanceados. O problema agora são os preços: o custo/ benefício ainda é bem ruim quando comparado ao de chilenos e argentinos do mesmo nível. A aposta? Que o aumento do consumo faça, em breve, o produto baratear. Aí teremos o melhor dos mundos: produto nacional de qualidade, com valores sensatos. Confira, aqui, cinco dicas de tintos brasileiros que o surpreenderão — positivamente, claro.

1. Alma Única Reserva Cabernet Sauvignon 2009

Da vinícola criada em 2008 pelo enólogo Márcio Brandelli. Tem notas de baunilha e chocolate e boa concentração de fruta para suportar a forte presença de aromas e sabores aportados pela madeira. Direto do produtor (www.almaunica.com.br), R$ 35

2. Valmarino x Cabernet Franc 2005

Pequena vinícola, localizada em Pinto Bandeira, no interior do rio Grande do Sul, que obteve com este rótulo a mais alta pontuação na Avaliação Nacional de Vinhos de 2005. Com notas de ameixa e pimenta-do-reino, acidez equilibrada e ótima persistência. Venda pelo site (www.valmarino.com.br), R$ 50

3. Lidio Cararro Dádivas Pinot Noir 2009

Leve e alegre. Tem aromas de frutas vermelhas frescas e um toque floral de rosa. Na boca, acidez marcada e poucos taninos. Correto e muito agradável. Bacco’s (www.baccos.com.br), R$ 43,80.

4. Pizzato DNA 99 2005

Comemorativo dos dez anos do Merlot 1999, primeiro vinho da Pizzato. Elaborado com uvas do mesmo vinhedo, apresenta boa complexidade aromática, textura sedosa e taninos finos. Eleito o melhor tinto nacional na Expo- Vinis Brasil 2011. representante em São Paulo, tel.: (11) 5536 5265, R$ 110.

5. Villa Francioni Francesco 2005

Elaborado com Merlot, Cabernet Sauvignon e Franc, Malbec e Syrah. Frutas e madeira bem balanceadas e, para complementar, notas de especiarias trazidas pela Syrah. Muita harmonia na boca. Bacco’s (www.baccos.com.br), R$ 79,50

Consultoria: Sommeliers Helena Mattar, Alexandre Bronzatto (Divino), Jô Barros (Restaurante Dui) e Sérgio Costa (Restaurante Kaá)

Acompanhe tudo sobre:bebidas-alcoolicascomida-e-bebidaVinhos

Mais de Casual

Chablis: por que os vinhos dessa região da França caíram no gosto do brasileiro?

"A Era das revoluções", de Fareed Zakaria, explica raízes do mundo contemporâneo; leia trecho

Do campo à xícara: saiba o caminho que o café percorre até chegar a sua mesa

Com sustentabilidade e legado, sempre teremos Paris

Mais na Exame