Acompanhe:

Passagens aéreas globais devem ter grande salto em 2023

O aumento de 12% na rota Ásia-Europa refere-se a tarifas da classe econômica

Modo escuro

Continua após a publicidade
Aeroporto Internacional de Hamad, no Catar. (Leandro Fonseca/Exame)

Aeroporto Internacional de Hamad, no Catar. (Leandro Fonseca/Exame)

B
Bloomberg

Publicado em 12 de dezembro de 2022 às, 08h00.

As tarifas aéreas vão subir no mundo todo no próximo ano, com aumento de até 12% nas rotas Europa-Ásia e de 10% nos voos entre a América do Norte e o continente asiático, de acordo com a American Express Global Business Travel.

A Ásia, que foi mais lenta em suspender as restrições de viagens relacionadas à Covid, deve registrar um dos maiores ajustes devido à maior demanda, disse a Amex GBT em seu relatório Air Monitor 2023. As projeções econômicas relativamente fortes da região também podem elevar os preços, segundo o grupo.

Os fatores por trás dos reajustes das tarifas globais incluem inflação, custos maiores dos combustíveis e restrições de capacidade. Tarifas mais altas entre a Europa e a Ásia também refletem o impacto de um redirecionamento das rotas para evitar o espaço aéreo russo, que está fora dos limites de muitas companhias aéreas após a invasão da Ucrânia. O desvio pode acrescentar até três horas às viagens, com o consequente aumento do consumo de combustível e custos.

Os preços das passagens já estão elevados desde antes da pandemia, que trouxe caos às viagens e obrigou companhias aéreas a reduzir a capacidade. Os principais mercados, como EUA e Europa, enfrentaram obstáculos para responder ao crescimento da demanda quando as restrições foram suspensas.

O aumento de 12% na rota Ásia-Europa refere-se a tarifas da classe econômica, enquanto os preços dos bilhetes de classe executiva para voos entre os continentes devem aumentar 7,6%, em média. As tarifas América do Norte-Ásia podem subir 5,6% na executiva.

Um dos maiores reajustes será visto nos bilhetes de classe executiva dentro da Austrália, com um salto em torno de 19%, de acordo com o relatório. Embora a demanda esteja de volta aos níveis pré-Covid, as aéreas reduziram a capacidade para lidar com problemas como falta de pessoal e altos custos do combustível, o que elevou os preços das passagens.

Na Europa, que também enfrenta um déficit da capacidade aérea em relação à demanda, as tarifas intrarregionais devem subir 6% na classe executiva e 5,5% na econômica no próximo ano, disse a Amex GBT. O aumento não será tão acentuado na América do Norte, onde os preços dos bilhetes serão reajustados em cerca de 3% em ambas as classes de cabine. As tarifas na rota América do Norte-Europa terão reajuste de 3,7% em relação a 2022, de acordo com o relatório.

Em comparação com 2019, as passagens aéreas da Ásia para a América do Norte na classe econômica vão dar um salto de quase 23%, enquanto que na executiva serão cerca de 15% mais caras.

“As viagens estão se recuperando na Ásia-Pacífico e devem crescer à medida que os países continuam a reabrir, mas os atuais obstáculos econômicos globais mostram continuidade da turbulência à frente”, disse Harris Manlutac, chefe de consultoria da Amex GBT para a Ásia-Pacífico. A tolerância das pessoas será testada, mas não vai alterar a necessidade fundamental de viajar, disse.

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.

Últimas Notícias

Ver mais
As águas do Sul: conheça o Hotel das Cataratas, propriedade de luxo dentro do Parque Nacional
Casual

As águas do Sul: conheça o Hotel das Cataratas, propriedade de luxo dentro do Parque Nacional

Há 17 horas

Turismo de nicho: imersão na natureza e cultura local são tendências de viagens
Casual

Turismo de nicho: imersão na natureza e cultura local são tendências de viagens

Há 2 dias

Como parceria entre SpaceX e Bahamas pode impulsionar e transformar o turismo espacial mundial
Um conteúdo Bússola

Como parceria entre SpaceX e Bahamas pode impulsionar e transformar o turismo espacial mundial

Há 3 dias

Turismo esportivo deve movimentar US$ 1,8 trilhão até 2030; veja 5 tendências
seloMarketing

Turismo esportivo deve movimentar US$ 1,8 trilhão até 2030; veja 5 tendências

Há 6 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais