Casual

O 'pulo do gato' de US$ 80 milhões da Ford que muda a produção da Ranger, sucesso no Brasil

A picape é fabricada na planta de Pacheco, na Argentina, nos arredores de Buenos Aires

 (Divulgação/Divulgação)

(Divulgação/Divulgação)

Gilson Garrett Jr.
Gilson Garrett Jr.

Repórter de Casual

Publicado em 14 de junho de 2024 às 06h21.

Última atualização em 14 de junho de 2024 às 09h14.

Tudo sobreCarros
Saiba mais

DE BUENOS AIRES - A nova Ranger é um sucesso de vendas para a Ford no Brasil. Desde o lançamento da picape, no ano passado, foram vendidas mais de 20.000 unidades, com um crescimento de 42% em 2023 em relação a 2022. Dentro do segmento, a Ranger atualmente tem 19% do mercado e encostou na vice-líder, a Chevrolet S10, que tem 20% de share. Tudo está andando bem, mas sempre pode melhorar. É assim que a marca do oval azul pensa.

A picape, sucesso no Brasil, é fabricada na planta de Pacheco, na Argentina, nos arredores de Buenos Aires. Todo o processo sempre foi feito ali, exceto um componente fundamental do carro: o motor. O coração da picape, que era importado, passou agora a ser produzido também no país vizinho em uma remodelação completa da linha de montagem.

O investimento total chega a 80 milhões de dólares e faz parte de um aporte maior, de 660 milhões de dólares, que está sendo feito na planta de Pacheco para a produção da Ranger. "A fábrica de motores marca um novo começo para as picapes, focada em qualidade de serviço. A produção local nos permite controlar melhor o processo e nos dá flexibilidade de adaptar os carros ao mercado local", explica Martín Galdeano, CEO da Ford América do Sul.

A nova fábrica tem capacidade instalada para produzir 82.000 motores por ano e vai funcionar em dois turnos. A montagem é de dois motores: um deles, o Lion 3.0 V6, com 250 cv e o maior torque da categoria, de 600 Nm, já está sendo produzido ali. No segundo semestre começa a fabricação do Panther 2.0 de quatro cilindros, com 170 cv e torque de 405 Nm, reconhecido pela força e economia de combustível.

Fábrica de motores da Ford: flexibilidade de mudanças. (Divulgação/Divulgação)

Raptor caiu no gosto do consumidor

No fim do ano passado, a Ford entrou no segmento de picapes de alta performance com a Ranger Raptor. O sucesso do lançamento foi tanto que foram vendidas 400 unidades em apenas cinco horas.

A Raptor tem a capacidade de 'voar' quando o solo demanda, com uma potência de 397 cavalos e acelera de zero a 100 quilômetros por hora em 5,8 segundos. É equipada com amortecedores de competição Fox Live Valve Shocks 2.5, com funcionamento ativo que se adapta às condições do terreno.

Esse sistema inteligente utiliza um acelerômetro e sensores em cada canto da carroceria para medir múltiplas variáveis, 500 vezes por segundo, e ajustar individualmente o amortecimento de cada pistão, por meio de câmaras de compensação com controle eletrônico.

*O jornalista viajou a convite da Ford.

yt thumbnail
Acompanhe tudo sobre:FordCarrosFord Ranger

Mais de Casual

Lembra da Von Dutch? Marca de bonés planeja retorno

Bar da Dona Onça terá menu degustação pela primeira vez

São Petersburgo se volta para turistas do Oriente

Após ter sido comprada por R$ 11,4 bi, Supreme é vendida para EssilorLuxottica por R$ 8,15 bi

Mais na Exame