Casual

Dia Nacional do Coquetel: 9 drinques clássicos revisitados para provar em São Paulo

A data, estabelecida pela Associação de Empresas de Bebidas Espirituosas (ANEBE) e a Associação de Barmen de Portugal em 2016, foi adotda pelo Brasil

Tan Tan: pela segunda vez consecutiva o noodle bar fica em primeiro lugar. (Divulgação /Divulgação)

Tan Tan: pela segunda vez consecutiva o noodle bar fica em primeiro lugar. (Divulgação /Divulgação)

Júlia Storch
Júlia Storch

Repórter de Casual

Publicado em 18 de maio de 2024 às 08h33.

Revisitar a história, trazer um pouco da própria personalidade para algo já conhecido e exercitar a criatividade sobre bases clássicas é uma forma de prestar homenagem aos profissionais que construíram a indústria da coquetelaria. Confra alguns exemplos de ousadas interpretações para celebrar o Dia do Coquetel, comemorado hoje, 18. A data, estabelecida pela Associação de Empresas de Bebidas Espirituosas (ANEBE) e a Associação de Barmen de Portugal em 2016, foi adotda pelo Brasil.

Aiô

Aiô: Negroni Sesame. (Nani Rodrigues/Divulgação)

Para trazer um toque taiwanês ao negroni do Aiô, restaurante de cozinha criativa e autoral com raízes taiwanesas, comandado pelos chefs Caio Yokota e Victor Valadão, o bartender Maurício Barbosa incluiu gergelim preto tostado e solução salina adicionados aos ingredientes básicos: Campari, gim e vermute. O resultado é o negroni sesame (R$ 40), drinque que te faz viajar pela Ásia sem fugir do clássico.

Serviço: R. Áurea, 307, Vila Mariana. Tel: (11) 5083-4778. Reservas: pelo aplicativo Get In. Horário: De terça a sábado, das 19h às 22h50. 

Arturito

No restaurante comandado por Paola Carosella, que acaba de se mudar para novo endereço, no Jardins, uma versão mais fresca do aperitivo italiano Vermute & Soda figura na carta do imponente bar de pé direito alto que se destaca no salão em estilo clássico. Ali, no lugar do vermute bianco clássico, tem protagonismo o vermute Der Wermut, feito artesanalmente no Rio Grande do Sul servido com água San Pellegrino (R$ 59).

Serviço: R. Chabad, 124 - Jardim Paulista, São Paulo (SP). Telefone: (11) 95699-9330. Horário de funcionamento: Terça à sexta, das 12h às 15h / das 19h, às 23h30. Sábado, das 12h às 16h / das 19h às 23h30 Domingo, das 12h às 16h30.

Cordial

Localizado próximo ao edifício Copan, no Centro de São Paulo, o Cordial criou sua própria versão de Manhattan, batizada Manhattan em São Paulo, em homenagem à cidade que o acolhe. Na barra comandada pelo premiado bartender Gabriel Santana, o clássico feito com uísque, vermute dry e rosso e bitters diversos ganhou cachaça envelhecida, vermute de abacaxi e bitter de cacau para acompanhar o bourbon de base (R$ 39). Um drinque ousado e complexo, sem perder a característica forte e seca do original.

Serviço: Rua Rua Epitácio Pessoa, 32. De segunda a quinta - 17h à 0h; Sexta 17h - 01h; Sábado 16h - 01h; Domingo 16h - 21h.

Le Bulô

Na primeira casa do chef carioca Ricardo Lapeyre, em São Paulo, o bar acompanha a proposta do restaurante, dando destaque aos frutos do mar e peixes. Assim, sob a batuta da premiada bartender Jessica Sanchez (ex-gerente do bar do Copacabana Palace, eleita Melhor Bartender da América Latina pela revista Forbes) em parceria com Jonny Paes (ex-Maguje e Nosso) saem o Oyster Martini (R$ 48), feito com água de ostra e salicórnia, e o Petit Conseil, uma versão do Bloody Mary servido com tartar de atum com chantilly de wasabi e nori como guarnição.

Serviço: R. Manuel Guedes, 233 - Itaim Bibi, São Paulo. Tel/ Reservas: +55 11 3079-4040 (WhatsApp, apenas mensagens). Horário de funcionamento: De terça a sexta, das 12h00 às 16h00 / 19h00 às 23h00; Sábado das 12h00 às 16h00 / 19h00 à 0h; Domingo, das 12h00 às 17h00.

Metzi

Metzi: Negroni. (Tati Frison/Divulgação)

Assinada pelo bartender mexicano Allan Suarez, vencedor do World Class México em 2020 e ex-Hanky Panky (bar número 22 no World’s 50 Best Bars e 20 na edição voltada exclusivamente aos melhores bares da América do Norte, em 2023), a nova carta de drinques autorais do restaurante Metzi foca nos destilados de agave e ingredientes utilizados na cozinha pelos chefs Eduardo Ortiz e Luana Sabino. Surge assim, entre outros, uma instigante versão de Negroni (R$ 46), com base de mezcal e um toque de goiabada.

Serviço: Rua João Moura, 861. Horários: Terça e quarta: 19h-22h30; Quinta: 19h-23h ; Sexta: 19h-2h; Sábado: 12h30-15h/19h-2h; Domingo: 12h-17h.

Ping Yang

Dedicado aos sabores e ingredientes tailandeses, o restaurante do chef Maurício Santi faz sua própria versão de Dry Martini (Dry Makrut), com Tanqueray ten e vermute com folha de limão makrut, e Marguerita, rebatizada Rao Ram Garita, que conta com a folha tailandesa Rao Ram junto à base clássica de tequila, Cointreau, limão e açúcar, para trazer um toque único de Ásia.

Serviço: Rua Doutor Melo Alves, 767, Jardim Paulista. Horário: de segunda a quarta, das 19h às 23h; de quinta a sábado, das 19h às 23h45 - *fechado aos domingos e na última segunda do mês. Reservas: widget.getinapp.com.br/e63RK71v

Santana

Um dos clássicos mais pedidos, o centenário Negroni - nascido em Florença, em 1919 - ganhou tequila ao invés do gim na versão elaborada pelo bartender Gabriel Santana em sua casa principal, o Santana Bar, em Pinheiro. Batizado Cabroni (R$ 49), ainda leva vermute rosso, Aperol, um toque de café, borda de sal-pimenta e chocolate branco.

Serviço: Rua Joaquim Antunes, 1026. De segunda a sexta - 18h à 0h; Sábado 16h à 0h; Domingo 15h às 21h. Telefone: (11) 99105-6699.

Shiro

No andar de cima do diminuto restaurante Kuro, protegido por uma cortina, o bar diminuto bar Shiro (com apenas 10 lugares) é focado na coquetelaria japonesa de alto padrão. Ali, o clássico Dry Martini (R$ 65) também ganha ares orientais com o Nihon Dry, elaborado com umeshu (licor de ameixa japonesa), gin e vermute seco.

Serviço: Rua Padre João Manuel, 712, Cerqueira César, tel. 11 91255-0906 (não atende ligações, apenas mensagens por whatsapp). Horário: de segunda a sábado - 19h, 21h15 e 23h15. Reservas: por mensagem do whatsapp 11 91255-0906, com pagamento antecipado de R$100 no ato da reserva.

Tan Tan

Head bartender do grupo Tan Tan, Caio Carvalhaes trouxe para a carta sua releitura do Campari Shakeratto - originalmente apenas Campari batido na coqueteleira com gelo. Batizado “Cavagna” (R$ 55), o drinque leva morango “para trazer frescor e acidez”, Fernet “para reforçar o amargo do Campari” e um toque de Awamori para levantar o punch alcoólico em linha com o lado oriental da casa comandada pelo chef Thiago Bañares. Ali, o mesmo coquetel ainda pode ser servido sobre gelo raspado com textura de neve(kakigori), dando outra sensação na boca para que toma.

Serviço: R. Fradique Coutinho, 153, Pinheiros - São Paulo (SP). Terça a domingo, 19h às 23h. Sábado, 12h às 16h / 19h às 23h. Último domingo do mês, fechado.

Acompanhe tudo sobre:bebidas-alcoolicasBebidasBaresRestaurantes

Mais de Casual

Em Barcelona: conheça o melhor restaurante do mundo e saiba quanto custa o menu

Os 5 melhores filmes e séries para maratonar no fim de semana

Como as cervejarias podem cativar uma Geração Z que bebe menos?

Festa Junina: 10 lugares para provar pratos típicos em São Paulo

Mais na Exame