Casual

Os 12 melhores espumantes brasileiros (charmat), segundo um dos maiores guias do mundo

O Descorchados é um consolidado guia de vinhos que traz avaliações de rótulos da Argentina, Chile, Uruguai, Brasil, Peru e Bolívia

Espumante: vinho borbulhante. (DNY59/Getty Images)

Espumante: vinho borbulhante. (DNY59/Getty Images)

Gilson Garrett Jr.
Gilson Garrett Jr.

Repórter de Casual

Publicado em 15 de abril de 2024 às 07h03.

Última atualização em 16 de abril de 2024 às 17h56.

O Descorchados é um consolidado guia de vinhos que traz, anualmente, avaliações de rótulos da Argentina, Chile, Uruguai, Brasil, Peru e Bolívia. Na edição de 2024, foram mais de 4.000 vinhos degustados de mais de 230 vinícolas argentinas, 210 chilenas, 35 vinícolas uruguaias , 40 brasileiras, 20 vinícolas peruanas e 5 vinícolas bolivianas.

No recorte feito apenas com espumantes brasileiros, elaborados pelo método charmat, o que recebeu a melhor pontuação foi o Ponto Nero Cult Nature, produzido na Serra Gaúcha. O rótulo é feito pelo processo 'charmat longo', ou seja, ficou longo período em contato com suas borras no tanque de segunda fermentação.

Na elaboração de vinhos de borbulha, o método charmat é quando a segunda fermentação do espumante ocorre em tanques de inox. Já pelo método tradicional, essa fermentação é feita na garrafa.

O guia Descorchados está à venda por R$ 295. Cada volume é separado por região, sendo um dedicado à Argentina e outro ao Chile. O terceiro é uma união entre Brasil, Uruguai, Bolívia e Peru.

Os melhores espumantes do Brasil, elaborados pelo método charmat

Os melhores vinhos tintos do Brasil

No recorte feito apenas com vinhos tintos brasileiros, 24 estão entre os melhores (veja mais abaixo). A primeira colocação foi dividida entre dois rótulos que receberam 93 pontos – em uma escala que vai até 100. Foram os melhores o Baron Assemblage 2020, da Adolfo Lona, e o Sacramentos Sabina 2023, da Sacramentos Vinifer.

Os melhores vinhos da América do Sul

Na edição de 2024 do Descorchados, dois rótulos da Argentina ganharam, pela primeira vez em 26 anos da publicação, 100 pontos. "Não foi uma iluminação divina. Foi algo muito pensado e muito trabalhado", resume Patricio Tapia, jornalista que há décadas cobre o setor e criou o guia.

Os dois rótulos são de vinícolas extremamente conhecidas e que há anos se dedicam à elaboração vitivinícola: Zuccardi e Catena. A dupla tem em comum se dedicar na extração do que há de melhor da uva Malbec. Receberam a pontuação máxima do Descorchados o Finca Piedra Infinita Supercal 2021, da Zuccardi, e o Adrianna Vineyard Mundus Bacillus Terrae 2021, da Catena.

Segundo Patricio Tapia, o que fez com que os dois vinhos atingissem a nota mais alta no guia foi um conjunto de fatores, mas o principal deles é o trabalho por trás da uva Malbec. "Tivemos um ano espetacular para a elaboração de vinhos no ano de 2021. Além disso, eu creio que está em um momento de investigação do terroir, de tirar da uva e da região tudo o que ela tem de melhor", diz.

Descorchados 2024. (Divulgação/Divulgação)

Adrianna Vineyard Mundus Bacillus Terrae 2021, da Catena

O vinho da célebre vinícola Catena é feito na região de Mendoza a cerca de 1.400 metros acima do nível do mar, ao norte do Vale do Gualtallary. O que mais chama a atenção neste rótulo é que ele não é envelhecido em barris de madeira, mas em tanques de concreto, processo feito pela primeira vez desde 2011. Isso tirou dele o aroma de madeira, mas conferiu uma explosão de aromas mais minerais e salinos. No Brasil chega importado pela Mistral.

Finca Piedra Infinita Supercal 2021, da Zuccardi

O rótulo é elaborado na região de Altamira a cerca de 1.100 metros de altitude. O experiente enólogo Sebastián Zuccardi teve a ideia de eliminar toda a doçura do Malbec, recorrendo a colheitas precoces e solos ricos em cal. Isso tudo resultou em aromas extremamente florais e frutados, nada pesado. No Brasil é importado pela Grand Cru.

Acompanhe tudo sobre:VinhosBebidas

Mais de Casual

Com modelo de franquia, Evino quer chegar ao fim do ano com 30 lojas no país

Jantares beneficentes: confira ações de restaurantes para ajudar o Rio Grande do Sul

Plano mais caro de academia no mundo custa US$ 3 mil por mês

Próxima geração do canivete suíço não terá faca, diz Victorinox

Mais na Exame