Casual

Como é o navio gigante da BYD que trouxe 5,5 mil carros de uma só vez para o Brasil

A embarcação mede 199,9 metros de comprimento e levou 27 dias da China até o Brasil

Navio da BYD: embarcação pode transportar até 7 mil veículos. (bera.digital/Divulgação)

Navio da BYD: embarcação pode transportar até 7 mil veículos. (bera.digital/Divulgação)

Gilson Garrett Jr.
Gilson Garrett Jr.

Repórter de Casual

Publicado em 31 de maio de 2024 às 07h31.

A BYD superou a Tesla no final do ano passado, ao vender mais carros elétricos que a concorrente em um trimestre. Foram um total de 526 mil veículos comercializados globalmente entre outubro e dezembro de 2023. No mercado brasileiro, a empresa chinesa também é líder entre os elétricos, com 5.265 veículos emplacados no mês de abril, segundo dados da Fenabrave.

Para dar conta da alta demanda, a BYD utiliza um navio, o EXPLORER NO.1 BYD, que transporta até 7.000 veículos de uma só vez. O navio atracou no Brasil na última segunda-feira, 27, no Porto de Suape, em Pernambuco. A embarcação mede 199,9 metros de comprimento, levou 27 dias para vir da China ao Brasil e logo retornará ao país de origem. Esta é a segunda viagem do navio, que tem 23 tripulantes, a maioria deles da Bulgária.

Com a maior movimentação de carros da história do Porto de Suape em uma única vez, o navio trouxe 5.459 veículos para abastecer o mercado nacional, visando atender à alta demanda dos brasileiros por carros elétricos e híbridos da BYD. Apenas nos cinco primeiros meses do ano, a BYD já emplacou mais de 21.000 unidades, segundo a Fenabrave.

Segundo Alexandre Baldy, conselheiro especial da BYD, o Brasil hoje é o maior mercado para a BYD fora da Ásia. "Por isso, a construção da nossa fábrica em Camaçari está em ritmo acelerado. No fim deste ano, começaremos a montar os carros na Bahia e, a partir do ano que vem, a BYD vai produzir os carros mais eficientes e tecnológicos em solo nacional,” diz.

Fábrica no Brasil

Em março deste ano, a BYD e o governo do estado da Bahia assinaram o documento de compra e venda do terreno onde funcionará a fábrica da montadora chinesa em Camaçari, próximo a Salvador. A assinatura marcou o início das obras de readequação do espaço. O complexo de 4,6 milhões de metros quadrados era utilizado pela Ford, que concluiu a entrega do terreno ao governo estadual no fim do ano passado.

De acordo com os executivos da BYD, serão montados em solo brasileiro o Dolphin Mini, o Dolphin, e o Yuan Plus, além do SUV híbrido Song Plus. No começo, a produção de peças para a montagem dos carros nacionalmente será em torno de 25%, e subirá gradualmente conforme a cadeia de suprimentos seja estabelecida. A estimativa é de cinco anos para chegar a cerca de 60% de produção nacional, incluindo as baterias.

Na primeira fase de obras, serão 26 novas instalações entre galpões de produção, pista de testes e outras estruturas que vão ocupar uma área de cerca de 1 milhão de metros quadrados. As antigas instalações do complexo serão destinadas a fornecedores que vão ajudar na produção de partes e peças dos novos veículos.

Acompanhe tudo sobre:BYDCarros elétricos

Mais de Casual

6 harmonizações de vinhos e pratos para o Dia dos Namorados

Aos 21 anos, Carlos Alcaraz chega a R$ 122 milhões em premiações após conquista de Roland Garros

Em jogo de mais de 4 horas de duração, Alcaraz derrota Zverev e é campeão de Roland Garros

Festival apresenta mais de 60 documentários musicais em SP

Mais na Exame