Casual

Brasil sediará a primeira partida da NFL na América do Sul; saiba mais

A Neo Química Arena, na cidade de São Paulo, receberá o jogo entre Philadelphia Eagles e Green Bay Packers em setembro deste ano

 (Mauro Horita/Getty Images)

(Mauro Horita/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 3 de maio de 2024 às 09h24.

Última atualização em 3 de maio de 2024 às 13h23.

Tudo sobreFutebol americano
Saiba mais

O Brasil sediará a primeira partida da National Football League (NFL) no continente sul-americano em 2024. A principal liga de futebol americano dos Estados Unidos definiu os times que se enfrentarão na Neo Química Arena no dia 6 de setembro: Philadelphia Eagles e Green Bay Packers. Até essa escolha, a cidade de São Paulo passou por uma série de avaliações, que culminaram na definição do local da partida.

O estádio do Corinthians se destacou nas análises da liga, que se iniciaram há mais de dois anos. No Brasil, Allianz Parque e MorumBIS foram alguns dos estádios que também foram cotados pela NFL para que São Paulo pudesse sediar a partida em 2024, que acontecerá na primeira rodada da temporada regular. Rio de Janeiro, Madri e Barcelona também foram analisadas como possibilidades.

A prefeitura de São Paulo acompanhou todas as visitas da NFL à casa dos clubes paulistas, em que a Neo Química Arena recebeu o maior destaque. O processo foi iniciado ainda na gestão do então presidente do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, e será concretizado com Augusto Melo.

Nisso, alguns pontos pesaram a favor da casa corintiana, confirmado por fontes ligadas à NFL e à prefeitura de São Paulo: a experiência de já ter recebido partidas da Copa do Mundo, Jogos Olímpicos, Copa América e Eliminatórias; a infraestrutura do local, elogiada pela liga; a proximidade com as linhas metroviárias e ferroviárias de São Paulo, reforçado pelo prefeito Ricardo Nunes; e a parceria com o Corinthians.

“O estádio servirá como um ótimo lugar de operações e temos um grande parceiro, o Corinthians, que nos ajudará a realizar a partida da melhor forma possível”, afirmou Peter O’Reilly, vice-presidente executivo da liga, em dezembro de 2023. O Santiago Bernabéu, casa do Real Madrid, também receberá uma partida da liga, mas somente em 2025.

“A base de fãs sempre influencia nossa análise quando jogamos em novos países, novas cidades. A NFL tinha total conhecimento sobre essa base de fãs no Brasil. Os Packers têm uma torcida muito apaixonada aqui”, comentou Gerrit Meier vice-presidente sênior da NFL International, em anúncio nesta semana.

Os ingressos ainda não têm valores definidos e data exata para comercialização, mas, segundo Gerrit Meier, as vendas devem abrir durante o verão americano, entre junho e agosto. A partida em São Paulo faz parte de um processo de expansão da liga, que também disputou jogos no Reino Unido, México e Alemanha nos últimos anos.

"As condições para o jogo e para o público são as melhores possíveis. O estádio do Corinthians é lindo, funcional e permite diversas atividades. É uma nova alternativa de esporte em um lugar bem projetado, um palco excelente para receber um evento desta magnitude e uma grande oportunidade para aprender com quem mais sabe fazer marketing esportivo", afirmou o presidente da Recoma Sergio Schildt, atualmente parceiro oficial dos esportes olímpicos do Corinthians, em especial o basquete.

A procura pelos bilhetes deve ser enorme, pois as duas equipes selecionadas são fortes. De acordo com as principais plataformas de apostas esportivas consultadas no país, como Esportes da Sorte, Reals, Onabet, Galerabet, Odds&Scouts, Casa de Apostas e Bet7k, Eagles e Packers estão entre entre os top 10 candidatos ao título do próximo Super Bowl. A equipe de Philadelphia foi ao mercado e trouxe a grande estrela Saquon Barkley, corredor que atuava no rival New York Giants, outra grande atração para o duelo de Itaquera.

No Brasil, dados consolidados mostram que a base de público que passou a acompanhar a modalidade cresceu nos últimos anos. O mais recente é de 2022, realizado pelo Ibope Repucom, que mostra que a NFL atingiu 37 milhões de torcedores, totalizando um crescimento de 270% comparado ao ano de 2013.

Outro levantamento deste mesmo estudo aponta que a modalidade registrou um índice de mais de 35 milhões de fãs no Brasil, se tornando o terceiro mercado de maior audiência, atrás do próprio Estados Unidos e do México.

“O mercado não tem outra opção a não ser aproveitar essa oportunidade, agarrá-la com unhas e dentes. Já faz anos e anos que se aventa a possibilidade de trazer a NFL para o Brasil e nós temos acompanhado esse movimento com muito carinho, porque sabemos que há um interesse enorme pelo futebol americano no Brasil. Teremos pacotes para a NFL em São Paulo e estamos em contato com as entidades organizadoras para entender quais tipos de produtos e experiências poderemos promover em torno do evento”, revela Joaquim Lo Prete, Country Manager da Absolut Sport no Brasil, agência multinacional que atua com experiências esportivas.

Para Fábio Wolff, sócio-diretor da Wolff Sports, agência de marketing esportivo, o aumento de interesse nos esportes americanos é algo trabalhado no país já há algum tempo.

“O crescimento da NFL no Brasil não é de hoje, o aumento do interesse gradativo é resultado de anos de mudanças na maneira de consumo da modalidade. Transmissões inovadoras e mais atrativas, eventos e parcerias mudaram o patamar de consumo da liga no país. Juntamente com isso, o anúncio da vinda da partida para São Paulo e todo o Marketing envolvido na preparação fomentou mais ainda a paixão dos torcedores brasileiros.”

Impacto econômico

A ideia é de que, assim como outros grandes eventos esportivos em São Paulo, como a Fórmula 1, a capital paulista continue recebendo jogos de futebol americano anualmente. A prefeitura tem expectativa de um impacto econômico de 60 milhões de dólares e geração de 5 mil empregos. Além disso, o governo municipal espera receber um grande volume de turistas apenas para acompanhar a partida.

Nesse sentido, a infraestrutura da Neo Química Arena se destaca. A proximidade do estádio com o transporte público foi fundamental para a escolha da sede. Gustavo Pires, presidente da SPTuris, espera que a partida em setembro também marque a maior onda migratória de americanos em direção ao Brasil.

A NFL irá realizar festas e ativações ao longo dos próximos meses e na semana do jogo. Setores da Neo Química Arena também podem se destacar e faturar com a partida. “Com o apelo do público sul-americano, a realização de uma partida no Brasil será uma excelente oportunidade para ativações comerciais”, comenta Léo Rizzo, CEO da Soccer Hospitality, empresa que conta com camarotes temáticos no Allianz Parque, Neo Química Arena e Morumbi, três dos estádios foram visitados pela NFL. “Nos inspiramos nos Estados Unidos e na NFL na operação dos nossos serviços e no atendimento ao consumidor.”

“As arenas multiusos, como a Neo Química Arena, ganham destaque quando há interesse de ligas e empresas em trazerem seus produtos para o Brasil. A chegada da NFL expande esse leque e possibilita que o setor se valha de ações, dentro e fora do estádio, para cativar novos públicos”, afirma Alessandro Tomazelli, CEO da Companhia do Tomate, empresa que possui camarotes voltados para festas infantis em estádios brasileiros. Uma dessas ações é o evento NFL In Brasa, realizado no Brasil desde 2022.

Acompanhe tudo sobre:Futebol americanoEsportes

Mais de Casual

Antonio Forjaz, da Sportingbet, mostra a rotina multiesportiva de um executivo

O Brasil é apaixonado por picapes, e o CEO da Ford América do Sul sabe o motivo

A melhor mesa de restaurante do Rio de Janeiro fica no Copacabana Palace

Por que Santa Catarina concentra metade da produção de barcos de lazer do país?

Mais na Exame