Acompanhe:

O banheiro é um dos ambientes que têm adquirido considerável destaque nos projetos arquitetônicos. Isso porque, ao longo dos anos, esse espaço teve um progresso significativo com a incorporação de novos hábitos e tecnologias. Assim, atualmente, é comum encontrar em uma residência mais de um banheiro, cada um com sua funcionalidade e característica.

Nesse sentido, os estudos sobre esse ambiente têm sido impulsionados, justamente a fim de tornar o seu projeto eficaz e prático para os moradores. “Um banheiro funcional consiste em uma junção de fatores que vão desde a realização de layout eficiente, escolha de materiais adequados, boa iluminação, armazenamento suficiente dos itens essenciais, ventilação adequada e a segurança. São estes os elementos-chave para projetar um ambiente capaz de atender a necessidades práticas e, ao mesmo tempo, transmitir as sensações de acolhimento e bem-estar”, dizem os profissionais Eloy e Felipe Fichberg, do escritório Trees Arquitetura.

A seguir, os arquitetos listam as principais orientações que um projeto de um banheiro funcional deve considerar.

1. Atenção ao layout

O primeiro segredo está na arquitetura funcional e inteligente que considera a disposição de todos os elementos, como a posição da bacia sanitária, chuveiro, banheira, bancada com cuba e qual tipo de cuba e armários. Segundo Eloy Fichberg, o objetivo é criar um fluxo eficiente que permita o acesso simplificado a cada elemento, evitando obstáculos desnecessários.

2. Escolha bem os revestimentos

O próximo passo é a escolha dos revestimentos e acessórios certos. A priori, os materiais devem ser resistentes à umidade e fáceis de limpar. “Azulejos cerâmicos, porcelanatos e pastilhas são opções comuns para as áreas molhadas do banheiro, enquanto superfícies como mármore ou granito podem ser especificadas para adicionar um toque de elegância. Os revestimentos de piso também devem ser antiderrapantes, visando à segurança dos usuários”, sintetiza Felipe Fichberg, que lista as opções mais adotadas nos projetos:

Paredes

Azulejos: escolha clássica devido à sua durabilidade, facilidade de limpeza e resistência à umidade. Com uma ampla variedade de cores, desenhos, padrões e tamanhos, permite criar diferentes estilos;

Porcelanato: tal qual o azulejo oferece e permite uma enorme gama para as escolhas, porém com uma resistência, durabilidade e tamanhos maiores abre um verdadeiro leque quanto à variedade de acabamentos que pode igualar-se aos materiais naturais como a pedra, a madeira e os mais diversos materiais como mármores ou granitos;

Pastilhas: já na linha de pequenos formatos os pequenos revestimentos de porcelana ou vidro podem ser usados para criar detalhes ou mosaicos nas paredes ou serem usados com cor única. Adicionam um toque decorativo ao banheiro e estão disponíveis em diferentes cores e texturas.

Bancadas

Mármore: escolha elegante e durável, se destaca pela beleza e aparência sofisticada e por meio das amplas possibilidades de tonalidades e padrões;

Granito: popular para bancadas de banheiro, é durável e oferece um excelente custo-benefício aos projetos;

Silestone: superfície sólida que combina quartzo natural com resinas, é resistente às manchas, riscos e umidade.

Armários

MDF laminado: é uma opção comumente adotada devido ao custo e a enorme gama de cores e texturas. Deve ser usado com cuidado porque não deve ser molhado, mas tem baixo custo de manutenção;

Madeira maciça:  é sempre bem vinda. Nos dias atuais, por conta do alto custo desse material, é usado com certa parcimônia. Se por acaso houver um acabamento de parede que precise ser protegido da água, então o uso da madeira no rodapé é muito bem vindo pois ele evitará que a água atinja o material instalado. Se a marcenaria do banheiro for em madeira natural, o custo será mais alto, mas sua durabilidade será longeva.

Toalheiros

Aço inoxidável: fáceis de limpar, são duráveis e complementam diferentes estilos de banheiro;

Alumínio: opção leve e resistente à corrosão para toalheiros, é encontrado em uma profusão de acabamentos e estilos.

Pisos

Porcelanato: assim como nas paredes, é uma escolha popular para pisos por conta de sua resistência à umidade, durabilidade e limpeza simplificada;

Cerâmica:  as cerâmicas com medidas menores de até 40 cm x 40 cm tem sido menos usada porque os porcelanatos com grandes medidas ocuparam seu espaço, mas há opções bem bonitas que devem e podem ser consideradas uma vez que o custo é muito atrativo também. Não devemos esquecer dos azulejos hidráulicos, quase exclusivos e pequenos, mas que depois de instalados formam desenhos incríveis e tem muitos anos de longevidade.

3. Defina a iluminação

Um banheiro funcional requer uma luz adequada que garanta uma visibilidade ideal para a realização de tarefas diárias como a higiene pessoal, os cuidados com a pele, a maquiagem e a barba. Em razão dessas situações, os arquitetos do escritório Trees Arquitetura indicam que o projeto luminotécnico inclua duas tipologias de luz: a geral e a direcionada.

A geral abrange a área total e é alcançada por meio de luminárias de teto e luminárias embutidas para melhor combinação de luz natural e artificial. Por sua vez, a direcionada entra em cena para realçar características específicas do banheiro, como nichos decorativos, prateleiras ou obras de arte.

Para tanto, utilizam-se spots direcionáveis ou arandelas, além de, eventualmente, iluminação embutida em pontos estratégicos. “Também é possível conceber um ambiente mais relaxante com iluminação indireta ou regulável, que permite ajustar a intensidade da luz de acordo com a preferência do usuário”, completa Eloy Fichberg.

4. Pense na ergonomia do ambiente

A ergonomia é um fator que nem sempre é considerado na fase de planejamento, mas o arquiteto Felipe Fichberg alerta que, para garantir uma experiência ergonômica no banheiro, especialmente para pessoas de diferentes idades e alturas, é fundamental considerar algumas adaptações nos elementos principais, como a altura da pia e da bacia sanitária, minimizando esforços desnecessários.

“Recomenda-se que a altura da bancada seja ajustada levando em consideração a estatura média da população ou as necessidades específicas dos usuários. Em geral, a altura da bancada deve ser instalada, pela parte de cima, entre 85 cm e 92 cm, para atender o usuário, mas é válido lembrar que essa referência pode mudar por conta das características individuais”, detalha o profissional.

5. Invista em um banheiro seguro

Para projetar um banheiro com foco na segurança, especialmente para idosos ou pessoas com mobilidade reduzida, é necessário considerar uma série de aspectos importantes, como:

  • Barras de apoio: quando estrategicamente posicionadas, próximas à bacia sanitária, ao chuveiro e perto da banheira, proporcionam suporte adicional para a mobilidade;
  • Pisos antiderrapantes: garantem uma superfície com menor risco de escorregões e quedas;
  • Ergonomia: como citado anteriormente, planejado personalizado evita a necessidade de flexionar ou agachar-se, proporcionando maior conforto e segurança;
  • Acessibilidade no box do chuveiro ou banheira: o box do chuveiro deve estar abaixo do nível do piso do banheiro em pelo menos de 0,5 cm até 1,0 cm para evitar que a água saia do box. O tamanho da porta do box também deve ser considerado, bem como um lugar de assento, para que o banho possa ser confortável. Para as banheiras, convém instalá-las em lugares sem degraus e com livre acesso por conta da segurança. Se degraus não puderem ser evitados, os cuidados maiores deverão ser com o piso, que deverá ser, necessariamente, antiderrapante;
  • Temperatura da água regulada: a instalação de dispositivos de controle de temperatura ou reguladores de água quente/fria ajuda a prevenir acidentes.

6. Aproveite os espaços verticais

A dica de ouro para todos os banheiros é adotar estratégias eficazes que cooperem para maximizar a funcionalidade e a sensação de amplitude. A principal delas é utilizar o espaço verticalmente a fim de aproveitar as paredes para instalação de prateleiras, armários suspensos ou nichos embutidos. “Essas soluções ajudam a liberar espaço no chão e mantêm os itens essenciais ao alcance, reduzindo a desordem visual”, indica Felipe Fichberg.

7. Escolha das cores

A escolha de cores deve ser feita com critérios considerando a iluminação natural, a artificial, o tamanho do espaço e o pé direito. Qualquer cor poderá ser bem-vinda quando esses quatros elementos forem considerados e avaliados.

8. Utilize somente os itens essenciais

Por fim, a dupla de arquitetos Eloy e Felipe Fichberg insiste na tecla da arquitetura do espaço, principalmente quando o banheiro for pequeno. “O uso de cestas, caixas ou bandejas para agrupar elementos similares e mantê-los organizados [é essencial]. A colocação de ganchos ou barras para pendurar toalhas e roupões é ótima para liberar espaço dos armários. Também gostamos de dispor apenas os itens essenciais à vista, guardando o restante em um armário ou prateleira fechada, [visto que] o excesso pode destruir a aparência final do ambiente”, finalizam.


Por Emilie Guimarães

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
General Motors lança SUV elétrico Cadillac Lyriq na Europa em aposta no mercado de luxo
Casual

General Motors lança SUV elétrico Cadillac Lyriq na Europa em aposta no mercado de luxo

Há 5 horas

Praia, cidade ou montanha: três carros ideias para a sua próxima viagem
Casual

Praia, cidade ou montanha: três carros ideias para a sua próxima viagem

Há 6 horas

BYD lança seu carro mais caro, de R$ 1,1 milhão, para concorrer com Ferrari e Lamborghini
Casual

BYD lança seu carro mais caro, de R$ 1,1 milhão, para concorrer com Ferrari e Lamborghini

Há 6 horas

Jato brasileiro é queridinho dos milionários e o mais vendido do mundo
Casual

Jato brasileiro é queridinho dos milionários e o mais vendido do mundo

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais