Ultimato de Musk gera êxodo do Twitter e põe operação em risco

A onda de funcionários que decidiram optar por um pacote de demissão gerou confusão sobre quem ainda deveria ter acesso à propriedade da empresa. O Twitter fechou seus escritórios até segunda-feira
O ultimato de Elon Musk para os funcionários do Twitter se comprometerem com o novo ambiente de trabalho “duro” da empresa ou sair teve muito menos adesão do que ele esperava (AFP/AFP Photo)
O ultimato de Elon Musk para os funcionários do Twitter se comprometerem com o novo ambiente de trabalho “duro” da empresa ou sair teve muito menos adesão do que ele esperava (AFP/AFP Photo)
B
BloombergPublicado em 18/11/2022 às 12:30.

O ultimato de Elon Musk para os funcionários do Twitter se comprometerem com o novo ambiente de trabalho “duro” da empresa ou sair teve muito menos adesão do que ele esperava, potencialmente colocando as operações em risco, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto.

A onda de funcionários que decidiram optar por um pacote de demissão gerou confusão sobre quem ainda deveria ter acesso à propriedade da empresa. O Twitter fechou seus escritórios até segunda-feira, de acordo com um memorando visto pela Bloomberg.

LEIA TAMBÉM: Twitter anuncia fechamento de escritórios após ultimato de Elon Musk a funcionários

O que disse Musk

“Por favor, continue cumprindo a política da empresa, evitando discutir informações confidenciais nas mídias sociais, com a imprensa ou em qualquer outro lugar”, disse o memorando.

Nas últimas horas antes do prazo que deu aos funcionários, Musk tentou convencer as pessoas a ficarem.

Membros-chave da equipe foram convocados para reuniões quando o prazo final da noite de quinta-feira se aproximava para ouvir propostas sobre o futuro da rede social, de acordo com pessoas familiarizadas com o assunto.

Musk, que havia dito anteriormente que era estritamente contra o trabalho remoto, também enviou um e-mail na quinta-feira suavizando seu tom.

“Tudo o que é necessário para a aprovação é que seu gerente assuma a responsabilidade de garantir que você esteja dando uma excelente contribuição”, disse ele, acrescentando que os funcionários devem ter reuniões pessoais com seus colegas pelo menos uma vez por mês.

LEIA TAMBÉM: Dedicação 'extrema' ou demissão: a oferta de Elon Musk aos funcionários do Twitter

Qual foi o impacto das declarações de Musk para o Twitter

Não foi o suficiente. Os canais de comunicação interna do Twitter ficaram cheios de emojis de continência, que se tornou um símbolo da saída da empresa.

Ex-funcionários também tuitaram a saudação publicamente, e colaram mensagens internas que haviam enviado pelo Slack.

Alguns funcionários especularam que a debandada foi tão grande que, junto com quem saiu, foi embora muito conhecimento do funcionamento do produto, e isso poderia levar a rede social a ter problemas para consertar falhas ou atualizar sistemas durante seu funcionamento normal, segundo pessoas a par do assunto.

O futuro do Twitter também se complica com uma possível revisão de segurança nacional do acordo de Musk pelo governo dos EUA, disseram fontes.

Na quarta-feira, Musk pediu aos funcionários que declarassem formalmente se estavam dispostos a continuar trabalhando na empresa e assumir um compromisso que incluiria “trabalhar longas horas em alta intensidade”. Os funcionários tinham até as 17h do horário da Costa Leste na quinta-feira para preencher um formulário do Google.

O formulário incluía apenas uma resposta possível: “Sim”. Quem não aceitasse o formulário dentro do prazo era informado de que sairia da empresa com três meses de indenização.

LEIA TAMBÉM: Elon Musk: no Twitter, ele demitiu pessoa enquanto ela dormia e por e-mail. Há razão nisso?

Inscreva-se e receba por e-mail dicas e conteúdos gratuitos sobre carreira, vagas, cursos, bolsas de estudos e mercado de trabalho.