Carreira

Entenda como conseguir o vale-cultura na empresa e se vale a pena

O vale-cultura é um benefício criado pelo governo para aumentar o acesso a atividades e produtos culturais e de lazer. Saiba quais atividades entram e benefícios

 (Fábricas de Cultura    /Divulgação)

(Fábricas de Cultura /Divulgação)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 11 de abril de 2024 às 07h04.

Tudo sobreDireitos trabalhistas
Saiba mais

Para muitas pessoas, ir ao cinema é uma atividade rara, quando não impossível de fazer. Hoje em dia, a média de preço de um ingresso em valor cheio (Inteira) é de R$ 19,04. Mas o valor pode chegar aos R$ 50 em grandes capitais. 

Quer saber tudo sobre a nova legislação dos benefícios? Baixe nosso e-book gratuito e conheça as mudanças na lei do PAT, entre outras novidades!

Pensando em tornar as atividades culturais — como o cinema — mais acessíveis, o governo criou o cartão vale-cultura. O benefício tem o valor de R$ 50 e pode ser usado para diversas finalidades. 

Neste guia, explicamos o funcionamento do vale e solucionamos as dúvidas mais comuns, como os estabelecimentos válidos, os vetados da lista e qual a porcentagem de desconto no salário do colaborador.

O que é vale-cultura?

O vale-cultura é um benefício facultativo que pode ser pago aos colaboradores de uma empresa. Seu objetivo é estimular o acesso a atividades e produtos culturais desenvolvidos no Brasil, como cinemas, espetáculos de teatro ou dança.

Mensalmente, o saldo do vale-cultura é de R$ 50, que se acumulam caso o valor não seja gasto no período. Além disso, não há prazo de validade.

Para quem é pago o vale-cultura?

Qualquer colaborador que esteja empregado pela CLT pode receber o vale como benefício. No entanto, o benefício foi criado com foco no público que recebe até cinco salários mínimos, como forma de estimular a presença do grupo em atividades culturais. 

Empresas interessadas na oferta do vale-cultura devem acessar o sistema do governo e fazer o cadastro como beneficiárias. 

Em seguida, devem optar pela lista de emissoras credenciadas — podem ser as mesmas que já oferecem o vale refeição/alimentação para o colaborador. Outra alternativa é a contratação de um cartão multibenefícios, que não entra no rol de benefícios do vale-cultura, mas que pode ser usado para a mesma destinação.

Quanto é descontado do salário do trabalhador?

Depende da faixa de rendimentos. Quem recebe até cinco salários mínimos pode ter até 10% do valor do vale-cultura descontado na folha de pagamento. Para quem recebe mais do que a faixa, a porcentagem varia entre 20% e 90%. 

Quais as atividades que entram no vale-cultura?

Além de experiências, como a ida ao cinema, espetáculos e exposições, o colaborador também consegue comprar produtos. Veja onde aceita o vale-cultura:

  • Peças de artesanato;
  • Cursos de teatro, literatura, música, audiovisual, circo, dança ou fotografia;
  • CDs ou DVDs;
  • Esculturas;
  • Ingresso para espetáculos de dança, circo, musical ou teatro;
  • Equipamentos de artes visuais;
  • Instrumentos musicais;
  • Festas populares;
  • Exposições de arte;
  • Jornais, revistas;
  • Fotografias, quadros ou gravuras;
  • Partituras;
  • Compra de ingressos pela internet para atividades culturais;
  • Música pela internet, seja por serviço de streaming (mensalidade) ou download;
  • Vídeo pela internet, seja por serviço de streaming (mensalidade) ou download;
  • Assinatura de plataformas de leitura online (e-books) ou compra de livros online;
  • Visitação de espaços culturais.

O valor de R$ 50 pode parecer pequeno, principalmente hoje em dia, mas perceba que a lista inclui a assinatura de serviços de streaming, como Netflix e Spotify. É uma ótima forma de usar o vale-cultura! 

Lembre-se que é possível acumular de um mês para o outro. Por isso, caso tenha algum evento em mente ao longo do ano, mas que custe um valor maior, é só deixar o cartão "em modo de espera". 

Quais não podem ser incluídas?

Há uma lista de atividades econômicas permitidas para credenciamento no Vale-Cultura. Basicamente, é um documento que mostra onde aceita o vale.

As empresas interessadas devem ter o CNAE (Classe de Atividades Econômicas) listados neste documento. Caso não estejam credenciadas nessas classes, não poderão aceitar o Vale-Cultura. 

Vale a pena oferecer vale-cultura?

Sim, o vale-cultura é um benefício que tem uma série de vantagens para o colaborador. Mas a empresa também ganha com isso! Agora, analisamos os dois pontos de vista.

Para o colaborador

O objetivo do vale-cultura é estimular o acesso a atividades culturais ou a aquisição de produtos que fomentem a criatividade e aproximem os colaboradores do universo das artes. 

Ter acesso à cultura é importante para qualquer ser humano, na medida que estimula o exercício do pensamento crítico, conhecimento de outras realidades, formação da personalidade e do intelecto. 

O trabalho é importante, mas quando a vida pessoal se confunde com a profissional, criam-se profissionais desmotivados, sobrecarregados e desestimulados. Não é esse o perfil de pessoas que uma empresa saudável deveria aproximar, mas sim o contrário! 

Em tempos de burnout e ansiedade associada ao trabalho, é importante para o colaborador saber que a empresa se importa no nível profissional, não apenas no quanto as pessoas entregam. 

O vale-cultura pode parecer um benefício pequeno, simples, mas que tem uma gama interessantíssima de produtos e serviços que podem ser adquiridos. O valor descontado do salário também é bem pequeno e pode trazer inúmeros sentimentos positivos relacionados ao trabalho.

Para a empresa

Funcionários motivados são mais colaborativos, abertos ao aprendizado, respeitosos ao receber feedbacks e estão prontos para receber desafios com maior vontade e interesse.

Para a empresa, isso resulta em melhores qualidades na performance e nas entregas.

Quer saber tudo sobre a nova legislação dos benefícios? Baixe nosso e-book gratuito e conheça as mudanças na lei do PAT, entre outras novidades!

Além disso, pesquisas de clima organizacional tendem a ter percepções positivas, já que sob o olhar do colaborador, a empresa presta atenção nas necessidades pessoais da equipe e se esforça em oferecer benefícios úteis, que podem ser muito bem aproveitados.

Tudo o que mencionamos acima tem grandes chances de diminuir a rotatividade de um negócio. Sabemos que a quantidade — e qualidade — de benefícios é um fator considerável para permanecer no trabalho atual.

Por fim, outro ponto positivo do vale-cultura é a atratividade do pacote de benefícios da empresa. Ela é essencial para vender a marca para novos talentos, preferencialmente aqueles qualificados e com o potencial de contribuir muito bem. 

Acompanhe tudo sobre:Direitos trabalhistasBenefíciosFlash Benefícios

Mais de Carreira

O bilionário da IA: ele começou lavando pratos em lanchonete e hoje tem fortuna de US$ 70 bilhões

Campeões da contratação: por que alguns profissionais são mais cobiçados que outros? Estudo responde

O que significam FYI, MVP, Gap? Saiba quais são os termos corporativos mais buscados

Discente e docente: qual a diferença e significado de cada um

Mais na Exame