Google lança aplicativo gratuito para iniciantes aprenderem programação

Gerente do Google que ajudou a desenvolver o aplicativo fala as três lições que a ajudaram a aprender programação sozinha

O Google lança nesta terça-feira, 8, a versão um português do seu aplicativo gratuito pra ensinar programação, o Grasshoper. Desde 2018, mais de um milhão de pessoas já passaram pelo menos uma hora aprendendo pelo app.

Segundo Heather Smith, Gerente de Programas para o Grasshopper, a tradução para o português era o principal pedido que eles recebiam; o que mostra a grande demanda pelo jogo no Brasil e a vontade de aprender.

E qualquer um pode aprender do zero a programar através do jogo que traz elementos básicos para qualquer linguagem de programação.

De forma interativa, o usuário pode aprender pouco a pouco, com missões e quebra-cabeças de cinco minutos, todos os dias os princípios de codificação, como funções, loops e variáveis. E agora, os brasileiros terão acesso a instruções, suporte e feedback em português.

“É como aprender o seu ‘ABC’ e o ‘123’. Com o Grasshoper, queremos mostrar o que é fundamental para programação e é aplicável para qualquer linguagem”, explica ela.

A ideia é acabar com a impressão de que programar é difícil, ou só é possível para pessoas muito inteligentes.

“Muita gente que entrou em engenharia e programação cedo na vida ia muito bem em matemática na escola, mas na verdade você não precisa de um entendimento avançado de matemática para codificação”, explica ela.

Outro dos objetivos do aplicativo é aumentar o número de mulheres na área de tecnologia. O nome do aplicativo, Grasshoper (em inglês, gafanhoto), é uma homenagem a Grace Hopper, uma das pioneiras na programação.

A gerente vê que sua jornada fora do comum para aprender programação fez muito sentido na hora de criar o aplicativo educativo. Smith se juntou à equipe de desenvolvedores da Area 120, a incubadora do Google para produtos experimentais, em 2017 para criar o app.

No entanto, ela começou na área de Vendas no Google e só havia entrado em contato com programação por um breve momento no seu mestrado.

Enquanto ela adorava a rotina de conversar com clientes, Heather começou a passar cada vez mais do seu tempo otimizando planilhas da equipe com códigos.

“Eu percebi que uma função que tomava horas do tempo do time poderia ser resolvida com instruções em código e economizar o tempo de todo mundo”, conta ela.

Essa foi a primeira faísca que guiou sua carreira para assumir posições mais próximas do time de engenharia do Google; e depois fazer parte do projeto do Grasshoper.

“Eu tive muita sorte. Eu aprendi sozinha a programar, porém eu fiz isso no Google. Então eu tinha pessoas fenomenais ao meu redor para ajudar. No começo pode parecer intimidador, mas é como aprender uma língua estrangeira. De início parece que você nunca vai entender, mas ao se aprofundar tudo começa a fazer mais sentido”, fala ela.

A chance de conviver e ter ajuda dos outros profissionais do Google resultou em lições valiosas para ela aprender a programar:

  • Não é só para gente super inteligente: “Eu tinha na cabeça que para ser um desenvolvedor você precisava ser inteligente para caramba, tipo um QI de Einstein. Mas eu percebi trabalhando no Google que as pessoas eram inteligentes, mas não era o caso de terem QI insanos”
  • A característica em comum dos bons programadores do Google é a persistência: “Quando eles travaram em um problema, eles não desistiam. Eles faziam uma pausa para voltar ao problema depois, ou pediam ajuda para outra pessoa e até buscavam no Google mesmo. Era muito mais uma perseverança do que genialidade. E eu percebi que eu também poderia persistir!”
  • Programação é como uma língua estrangeira e exige colaboração e criatividade. “Em fui introduzida aos poucos de uma maneira que foi muito criativa e altamente colaborativa. E teve um momento de clareza de ‘espera, isso que é programação?’. Eu achava que era aquela coisa que pessoas se enfiavam numa sala escura e olhavam para telas o dia todo, mas na verdade eu estava falando com mais gente do que no meu cargo em Vendas e podendo usar minha criatividade”.

O aplicativo está disponível para download e faz parte da iniciativa Cresça com o Google.

De 1 a 5, qual sua experiência de leitura na exame?
Sendo 1 a nota mais baixa e 5 a nota mais alta.

 

Seu feedback é muito importante para construir uma EXAME cada vez melhor.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.