Bússola
Um conteúdo Bússola

Startup leva profissionalização para “categorias de base” dos jogos online

Mentora permite que jogadores de todos os níveis consigam receber pelas horas jogadas, sempre via blockchain

Democratização dos e-sports para a renda tem início (Bússola/Divulgação)

Democratização dos e-sports para a renda tem início (Bússola/Divulgação)

B

Bússola

Publicado em 24 de junho de 2022 às 12h04.

Última atualização em 24 de junho de 2022 às 14h17.

Os resultados mais recentes da Pesquisa Game Brasil mostram que, apesar de três em cada quatro brasileiros serem adeptos de jogos eletrônicos, apenas 1% recebe alguma remuneração jogando seus games preferidos. O restante fica na “várzea”, muitas vezes gastando dinheiro em vez de receber pelas horas dedicadas a esse universo.

Uma startup brasileira quer mudar essa realidade para gamers que vão desde os amadores até os profissionais: o Mentora, blockchain gamer community onde jogadores podem ganhar dinheiro com seus jogos favoritos, promovendo a democratização dos e-sports para renda.

A profissionalização na área de e-sports é o sonho de muitos jogadores — principalmente dos mais jovens —, mas uma realidade distante para a maioria. O Mentora aposta nos gamers da base, oferecendo a oportunidade de ganharem dinheiro com suas gameplays, participarem de campeonatos ou criarem e promoverem o seu próprio torneio dentro de três dos principais jogos do mercado, CS:GO, Valorant e League of Legends.

“No futebol, existe uma cadeia que olha desde o jogador amador até o profissional, e é assim que observamos o Mentora. Como a solução que veio para fomentar desde o amador até o profissional. No entanto, com uma diferença, no Mentora, os amadores também rentabilizam sua gameplay e vão ganhar com sua diversão”, afirma Pedro Felix, CEO e cofundador do Mentora.

O plano é unir todo o ecossistema em uma única plataforma onde todos, tanto jogadores amadores, profissionais, fãs e produtores de conteúdo de todas as idades e perfis, podem ganhar dinheiro via blockchain jogando seus jogos favoritos. “Sejam ranqueadas do Mentora League ou nos Community Tournaments, onde os prize pools são mais altos”, diz o CEO.

Siga a Bússola nas redes: Instagram | Linkedin | Twitter | Facebook | Youtube

Veja também

Gen Z: ágil, conectada, inclusiva, comprometida. Você está preparado?

Quer ser um hacker? Nova plataforma oferece ambiente gamificado e desafios

Andre Gelfi: Brasil não pode dispensar os tributos das apostas esportivas

Acompanhe tudo sobre:GamesStartups

Mais de Bússola

Gestão Sustentável: excesso de curto prazo quebra negócios e gera crises sistêmicas 

Bússola e Cia: uso da IA em fraude cresce no país

Apple? Microsoft? Não. Entenda como IA fez Nvidia garantir o posto de empresa mais valiosa do mundo 

3 passos para unificar a cultura organizacional após processos de fusão e aquisição

Mais na Exame